Futebol - ( - Atualizado )

Corinthians perde última chance de inaugurar casa própria com vitória

Marcos Guedes São Paulo (SP)

Derrotado por 1 a 0 pelo Figueirense na abertura daquela que promete ser sua morada definitiva, em Itaquera, o Corinthians desperdiçou a última chance de inaugurar uma casa com vitória. O clube teve dois estádios próprios anteriormente em seus quase 104 anos de história e começou sua trajetória em ambos com empate. Desta vez, nem a igualdade foi alcançada.

O primeiro campo da equipe foi o da Ponte Grande, erguido em mutirão pelos próprios jogadores, em um terreno ao lado de onde hoje fica a Ponte das Bandeiras. O confronto inaugural aconteceu em 1918, em amistoso com o Palestra Itália, e, não fosse a qualidade de Heitor – ídolo histórico do arquirrival –, poderia ter terminado em um bom resultado.

Reprodução
Jogador do primeiro quadro alvinegro entre 1913 e 1930, Neco estava nas aberturas da Ponte Grande e do Parque São Jorge
A etapa inicial foi de vantagem alvinegra, com dois gols de Neco – o primeiro grande ídolo do Corinthians – e um de Bororó. Heitor, que já havia marcado antes do intervalo, balançou a rede de Pizzocaro mais duas vezes e definiu o empate por 3 a 3, acompanhado por cerca de 10 mil pessoas de acordo com os relatos dos jornais da época.

Uma vitória na Ponte Grande aconteceria apenas na quarta partida, após uma derrota para o próprio Palestra e um empate com o Santos. O triunfo por 2 a 1 sobre o Mackenzie, com gols de Jacyntho e Américo, foi o primeiro de 70 no campo onde a equipe permaneceu até 1927 – e onde comemorou o título de 1923, fazendo 3 a 0 no São Bento.

Com a inauguração do Parque São Jorge, em 1928, o Corinthians repassou o terreno da Ponte Grande, arrendado por meio da prefeitura, à hoje extinta Associação Atlética São Bento. E fez festa para abrir a nova casa, em um amistoso com o América-RJ. Levou só 29 segundos para conseguir um gol – o mais rápido no local, marcado por De Maria –, mas voltou a empatar.

Acervo/Gazeta Press
Tuffy, o lendário Satanás, fez sua estreia no Corinthians na inauguração do Parque
Era Ângelo Rocco o técnico, e não Tite, naquele 22 de julho. Sobral igualou o marcador, aos 13 minutos, e De Maria voltou a colocar o futuro Timão na frente, aos 24. Como acontecera dez anos antes, na Ponte Grande, a vantagem não foi sustentada até o apito final. Aos 15 da etapa derradeira, Mineiro marcou para os cariocas e impediu uma alegria maior na Fazendinha.

No jogo seguinte em sua casa nova, porém, o Corinthians fez 5 a 1 no Guarani, um dos resultados que o levou ao título do Campeonato Paulista. Só não foi efetivamente a primeira vitória por lá porque a equipe já havia atuado no Parque em 1923, quando a propriedade era de Assad Abdalla e Nagib Sallem. O Sírio mandava jogos no local e perdeu por 1 a 0 para o futuro dono do pedaço, gol de Gambarotta.

Em Itaquera, até o empate acabou ficando fora do alcance. A equipe dirigida por Mano Menezes enfrentou um adversário que ainda não havia marcado um gol no Brasileiro, mas teve enorme dificuldade na criação, levou um gol de Giovanni Augusto aos dois minutos do segundo tempo e não conseguiu a reação, fechando sua lista de inaugurações da casa própria com um péssimo aproveitamento.

A ESTREIA NA PONTE GRANDE
CORINTHIANS 3 X 3 PALESTRA ITÁLIA

Data: 17 de março de 1918, domingo
Árbitro: Manuel de Freitas Pinto Júnior
Público: 10 mil pessoas
Gols:
Corinthians: Neco (2) e Bororó, no primeiro tempo
Palestra: Heitor, no primeiro tempo; Heitor (2) no segundo tempo

CORINTHIANS: Pizzocaro, Reis e César Nunes; Ravaccini, Spesani e Ciasca; Américo, Bororó, Amílcar, Neco e Basílio
Capitão: Amílcar Barbuy

O CORINTHIANS NA PONTE GRANDE
92 partidas
70 vitórias
11 empates
11 derrotas

Acervo/Gazeta Press
Del Debbio formou com Tuffy e Grané um marcante trio defensivo
A ESTREIA NO PARQUE SÃO JORGE (como mandante)
CORINTHIANS 2 X 2 AMÉRICA-RJ
Data: 22 de julho de 1928, domingo
Árbitro: João de Deus Candiota
Gols:
Corinthians: De Maria, aos 29 segundos e aos 24 minutos do primeiro tempo
América: Sobral, aos 13 minutos do primeiro tempo, e Mineiro, aos 15 minutos do segundo tempo

CORINTHIANS: Tuffy, Grané e Del Debbio; Neprino, Sebastião e Munhoz; Apparício, Neco, Rato, Guimarães e De Maria
Técnico: Ângelo Rocco

O CORINTHIANS NO PARQUE SÃO JORGE
468 partidas
346 vitórias
60 empates
62 derrotas

A ESTREIA EM ITAQUERA
CORINTHIANS 0 x 1 FIGUEIRENSE

Data: 18 de maio de 2014, domingo
Árbitro: Jaílson Macedo Freitas (BA)
Público: 36.694 pessoas (36.123 pagantes)
Renda: R$ 3.029.801,70
Cartões amarelos: Guilherme, Cleber, Romarinho e Jadson (Corinthians); Leandro Silva, Ricardo Bueno e Everton Santos (Figueirense)
Gol: Giovanni Augusto, aos dois minutos do segundo tempo

CORINTHIANS: Cássio; Fagner (Danilo), Cleber, Gil, Fábio Santos; Ralf, Guilherme, Renato Augusto e Jadson (Paulinho); Luciano (Romarinho) e Guerrero
Técnico: Mano Menezes

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade