Futebol/Copa do Brasil - ( - Atualizado )

Fábio faz milagres, mas Verdão sofre virada no fim do Sampaio Corrêa

São Luis (MA)

Sem Fernando Prass, Gilson Kleina desistiu do criticado Bruno e apostou em Fábio, que fez milagres no Maranhão. Mas o goleiro foi insuficiente para evitar uma surpreendente derrota do Palmeiras. O time perdeu de virada por 2 a 1 para o Sampaio Corrêa, pela Copa do Brasil, a terceira derrota seguida do time e que complica a vida do treinador no Verdão.

Inicialmente com três volantes diante de um rival que acaba de subir da terceira divisão nacional, o Palmeiras fez seu gol com Henrique em rara jogada lúcida na frente, aos 20 minutos do segundo tempo. Mas o time maranhense venceu Fábio e virou com Edimar, aos 36, e Edgar, aos 39.

Em crise, o Verdão tenta se recuperar recebendo o Goiás no sábado, às 18h30 (de Brasília) no Pacaembu, pelo Campeonato Brasileiro. No jogo de volta da segunda fase da Copa do Brasil, precisa vencer por 1 a 0 ou por dois gols de diferença se tiver as redes balançadas às 22 horas da próxima quarta-feira, também no Pacaembu.

Divulgação
Maior astro em campo, Wesley não conseguiu ajudar no Maranhão (Crédito: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)
O jogo – Sem Fernando Prass, Valdivia, Bruno César, Bruninho e Thiago Martins, todos vetados por suas condições físicas, Gilson Kleina não pôde treinar em Maranhão por conta das chuvas que caíram em São Luis e resolveu preencher seu meio-campo escalando os volantes Renato, Josimar e Wesley, apostando em Mendieta na armação. No gol, Fábio ganhou chance, deixando o contestado Bruno no banco.

O resultado no pesado gramado do estádio Castelão foi um Sampaio Corrêa pressionando os favoritos. A confiança do campeão maranhense diante do Verdão à beira da crise era tão grande que, em 13 minutos, os zagueiros Lúcio e Marcelo Oliveira já tinham visto a bola passar entre as suas pernas.

Amarrada, a equipe de Gilson Kleina foi facilmente acuada nos primeiros 20 minutos da partida. Juninho era um atalho fácil por seu setor e Wendel subiu tanto na tentativa de dar vida a um time com três volantes e Mendieta, mais uma vez, discreto, que também transformou o seu lado na defesa em um corredor.

Um dos avanços do lateral direito, contudo, quase virou gol em um raro acerto de Leandro, que ajeitou para o camisa 13 ser bloqueado na pequena área, aos 20 minutos. Mas logo Wendel estava do outro lado do campo afastando o perigo da área de Fábio. Juninho, sem condições de subir, também fazia o mesmo.

Divulgação
Henrique sofreu com a pouca inspiração do time, mas abriu o placar (Crédito: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)
Sem qualidade para aproveitar a frágil atuação palmeirense, o Sampaio Corrêa resolveu descansar um pouco e recuou a marcação, colocando todos os seus jogadores atrás do meio-campo. Nem precisava correr tanto para marcar: Wesley, Mendieta e Leandro atrapalhavam o Palmeiras nas raras vezes em que tinham a bola na frente e transformavam o centroavante Henrique em um espectador dentro de campo.

No fim do primeiro tempo, Wesley ainda levou perigo em cobrança de falta, mas era pouco. Kleina, então, abriu mão de Josimar, seu mais criticado volante, e colocou Diogo, em busca de mais presença na frente. Logo na saída de bola, contudo, Leandro errou passe com menos de um segundo ao tentar o toque para Henrique.

E os erros continuaram, transformando a postura mais avançada em um perigo, abrindo espaço para o Sampaio Corrêa atacar. Apareceu, então, Fábio. Em 16 minutos, o goleiro mostrou reflexo para espalmar bombas de Arlindo Maracanã em cobrança de falta e de William Paulista após girar facilmente sobre Marcelo Oliveira na área.

Animada, a torcida mandante vibrou quando Pimentinha saiu do banco e deixou marcadores no chão em seu primeiro lance. Até que o Palmeiras, em sua primeira jogada lúcida no ataque, abriu o placar. Aos 20 minutos, Mendieta apareceu mostrando qualidade, dominando a bola com o peito e, de costas, tocando para Henrique entrar livre na grande área e bater na saída do goleiro, fazendo 1 a 0.

Divulgação
Fábio deixou Bruno no banco e se salvou com milagres no Maranhão (Crédito: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)
À frente no placar, o Verdão passou a esperar um contra-ataque para definir sua classificação já no primeiro jogo. Estratégia que se tornou mais uma oportunidade para Fábio virar herói, fazendo duas grandes defesas para parar Edgar, que venceu a defesa facilmente na velocidade.

Mas Fábio logo mostrou o prejuízo de pouco atuar e continuou em campo mesmo com problemas musculares. Piores estavam seus colegas de linha. O Sampaio Corrêa intensificou a pressão que exercia desde o começo e foi premiado aos 36 minutos, quando Arlindo Maracanã teve duas chances para cruzar com perfeição na cabeça de Edimar, alto zagueiro totalmente livre para empatar.

O pior aconteceu três minutos depois, segundos após Kleina sacar Henrique e colocar o criticado Mazinho. Edgar ganhou na velocidade de novo, dessa vez de Wendel, e entrou novamente sem marcação na grande área para superar Fábio e definir uma virada histórica para o Sampaio Corrêa e complicada para o Palmeiras.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade