Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Jogadores do Corinthians veem vitória em Itaquera como obrigação

Helder Júnior São Paulo (SP)

O jogo contra o Botafogo, no domingo, vale mais do que três pontos para o Corinthians. Além de ter a oportunidade de assumir a liderança do Campeonato Brasileiro na última rodada antes da paralisação para a Copa do Mundo, o time comandado por Mano Menezes quer vencer a sua primeira partida no estádio de Itaquera, na Zona Leste de São Paulo.

“A gente tem a obrigação de ganhar”, definiu o volante Ralf, ainda incomodado com a derrota por 1 a 0 para o Figueirense, no único jogo oficial disputado na arena até então. “Não tivemos um bom desempenho naquele dia, mas isso é página virada”, completou.

A página foi virada com dificuldade para muitos dos companheiros de Ralf. “A gente até conversou sobre isso. O que a equipe mais quer é apagar a má impressão do primeiro jogo lá e dar felicidade à torcida corintiana”, comentou o atacante Romarinho. “Queremos acabar com a mancha da estreia”, concordou o zagueiro Cleber.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Torcedores do Corinthians saíram frustrados da primeira partida oficial da arena de Itaquera
Para superar de vez o tropeço em casa, o Corinthians conta com o seu bom momento no Campeonato Brasileiro. O time subiu para a terceira colocação do Campeonato Brasileiro depois das vitórias sobre Sport e Cruzeiro e passou a contar com novos destaques, como o meio-campista Petros.

“Vamos fazer o possível para vencer desta vez. Existe toda uma história em cima do estádio, algo com que a torcida sempre sonhou. Tivemos um revés, um golpe duríssimo de assimilar”, admitiu Petros, já ciente dos obstáculos que encontrará em Itaquera. “É complicado. O Grêmio foi o primeiro a inaugurar uma arena e ainda não conseguiu fazer disso a sua força. Existe uma pressão diferente. Lá, a torcida fica em cima, e não dá nem para escutar o que o Mano fala. O gramado é outro também”, justificou.

Mano Menezes pretende evitar que a obrigação de vencer em Itaquera mexa com os seus jogadores. “Não existe pressão. A arena não é o nosso problema. Temos que saber que o campeonato é duro. Às vezes, você tropeça mesmo. O futebol te ensina a ser humilde. Se não vencemos o Figueirense, foi porque não executamos bem aquilo que deveríamos”, discursou o comandante gaúcho.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade