Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Jogadores não usam saída de Kleina para explicar jogo convincente

William Correia São Paulo (SP)

No jogo seguinte à demissão de Gilson Kleina, a sequência de três derrotas do Palmeiras acabou com uma atuação convincente, praticamente sem correr riscos na vitória por 2 a 0 sobre o Goiás. Os jogadores, contudo, comprovaram mais uma vez o bom relacionamento que tinham com o ex-técnico ao não ver relação entre a sua saída e o desempenho no Pacaembu.

“Não foi diferente do que vinha acontecendo. Não foi pela saída do treinador e a permanência do Alberto, nós víamos a necessidade de ganhar, precisávamos de uma vitória boa em casa. Não passa pela troca de treinador”, garantiu Valdivia, que fez graças e esboçou sorrisos no treino do dia da demissão de Kleina e, após ser desfalque por sobrecarga muscular no último jogo, até deu carrinho na defesa neste sábado.

O empenho do meia e dos atacantes Diogo, Leandro e Henrique se tornaram exemplos da mudança para o capitão da equipe. “Conseguimos no primeiro tempo tudo que faltou nos outros jogos. Foi uma vitória importante com um espírito em campo no qual marcamos desde o primeiro minuto, com a marcação iniciando lá na frente, todos com disposição para correr. É o diferencial do time e recuperamos isso”, falou Lúcio.

O zagueiro abriu o placar aproveitando falta cobrada por William Matheus, lateral esquerdo que foi a novidade de Alberto Valentim. Do banco, o antes titular Juninho viu seu substituto dar as duas assistências contra o Goiás e até agradecer a Kleina, apesar das poucas chances que teve.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Jogadores do Verdão voltaram a sorrir quando mostraram o que deu certo durante boa parte do Paulista
“É fato que não tive sequência com o Kleina, mas não o culpo. É um excelente treinador que sabe o que faz, conhecia o elenco e tinha confiança no Juninho. Agradeço a ele por ter vindo para cá. Eu vinha treinando, esperando a oportunidade e joguei bem, dei duas assistências. O campeonato é longo e vamos ver se, agora, consigo dar continuidade”, apostou o lateral esquerdo, um dos exemplos de empenho do sábado de alívio do Verdão.

“Além de a bola ter entrado, nossa equipe foi, por 90 minutos, muito bem aplicada taticamente. Marcamos, corremos e não sofremos gol. A a chave da vitória foi essa. Não deixamos o Goiás crescer, chegaram mais por vontade do que por qualidade. Fomos superiores, saímos na frente e conseguimos uma vitória muito importante para a moral e a sequência do time”, comemorou Valdivia.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade