Futebol/Seleção Brasileira - ( - Atualizado )

Júlio César promete apoio total do grupo a Neymar em Copa “especial”

Toronto (Canadá)

Entre os mais experientes do grupo convocado por Luiz Felipe Scolari para defender a Seleção Brasileira na Copa do Mundo, o goleiro Júlio César não esconde a ansiedade para jogar no Brasil. Nem mesmo o fato de ter disputado duas edições da competição mais importante do futebol é capaz de dar tranquilidade ao jogador, que prefere apenas agradecer pela oportunidade de viver este momento da carreira em seu país.

“Estou tendo oportunidade de ir à minha terceira Copa do Mundo e cada uma tem seu gosto especial, mas essa, pelo fato de ser no Brasil, realmente e diferente das outras duas. Você jogar em casa, ao lado da torcida e de sua família, só me faz agradecer pela oportunidade que estou tendo”, revelou o goleiro, que relembrou até a edição de 1950 para justificar a enorme pressão sobre o grupo.

“O fato de jogar no Brasil já traz uma pressão enorme, a torcida brasileira tem uma cobrança muito grande, já ganhamos cinco Copas do Mundo. E o fato de o Brasil ter perdido a Copa para o Uruguai em 1950 se eternizou na memória do brasileiro. Mas, independente do que aconteceu em 1950, a pressão seria a mesma”, acrescentou o goleiro, homem de confiança de Felipão.

Com a missão de passar tranquilidade aos jogadores mais novos, Júlio César garantiu que o craque desta Seleção poderá se sentir à vontade na Copa. O goleiro, que trabalhou com outros jogadores que chegaram com este mesmo status no Mundial, como Ronaldinho Gaúcho em 2006 e Kaká em 2010, vê o atual camisa 10 com muita maturidade, mesmo no início da carreira.

“É normal essa pressão quando o jogador se destaca na idade do Neymar. Já tivemos em outras Copas jogadores que chegaram nesse status. Agora chegou a vez do Neymar. É um garoto preparado, que conquistou muita coisa, já adquiriu uma maturidade. O grupo, que é o mais importante, vai apoiar a todos os momentos para deixa-lo à vontade para nos ajudar quando foi preciso”, explicou Júlio César, que não quis falar sobre o seu futuro.

“Eu não sei o que pode acontecer depois da Copa do Mundo, tenho contrato até dezembro de 2014, mas há uma cláusula contratual para voltar à Inglaterra em agosto. Não é uma coisa que me preocupa, tenho que pensar na Copa do Mundo, e depois projetar o meu futuro. Não posso responder o que vai acontecer”, finalizou o arqueiro da Seleção Brasileira.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade