Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Kleina cobra reforços e deve ser mantido por multa e falta de opção

William Correia São Paulo (SP)

Mais uma vez, Gilson Kleina sofre pressão e deve sobreviver no Palmeiras mesmo sem a diretoria ter convicção de que sua permanência é a melhor solução. O presidente Paulo Nobre ouviu por meio de dirigentes as cobranças do técnico por reforços e, novamente, deve manter a comissão técnica para economizar na multa rescisória e, principalmente, por não encontrar nomes no mercado que julga serem capazes de comandar o time.

De acordo com o que Nobre informou a seus pares ainda na noite de domingo, a reunião que ocorre nesta tarde na Academia de Futebol será para discutir as melhoras necessárias no time sem a mudança do treinador. Kleina só deve sofrer riscos novamente caso perca do Sampaio Corrêa, no Maranhão, na quarta-feira.

O presidente cogita a saída do técnico desde que assumiu o clube em janeiro do ano passado, e economizou o máximo que pôde ao renovar seu contrato após a Série B, tornando pública a frustrante negociação para trazer o argentino Marcelo Bielsa. Kleina teve que ‘engolir’ uma redução salarial na época, mas acabou fazendo acordo por uma multa rescisória que virou arma para continuar no cargo.

Se decidir demitir o treinador, Nobre terá que pagar o valor equivalente a três salários, algo próximo dos R$ 900 mil, quantia bastante alta levando-se em conta a situação financeira do clube. Além disso, os profissionais à disposição são caros ou, na visão dos principais conselheiros do presidente, incapazes de levar o time a algum título no centenário.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Mais uma vez mantido por falta de opção no mercado e para clube não gastar com multa, Kleina quer reforços para ser cobrado
Na prática, Kleina fica pelos mesmos motivos que o seguraram após as derrotas para Mirassol e Atlético-PR no ano passado. A diferença é que a paciência do treinador está se esgotando. Depois de perder de virada por 4 a 2 para o Flamengo nesse domingo, o técnico cobrou do gerente de futebol Omar Feitosa contratações para ter condições de trabalhar nas proporções em que é cobrado.

O zagueiro Henrique e o atacante Alan Kardec já saíram sem ninguém de peso semelhante ser nem cogitado até o momento, além de Kleina não ter sido atendido no pedido por um lateral direito que faz desde dezembro. A cirurgia no cotovelo direito de Fernando Prass aumenta o número de desfalques importantes de uma equipe que, quando teve problemas, sentiu que o elenco não é tão competitivo e foi eliminada na semifinal do Campeonato Paulista ao perder do Ituano.

O fato curioso é que a resposta da diretoria às cobranças de Kleina tem o mesmo fundamento da explicação de Nobre aos conselheiros para não demitir o técnico: falta dinheiro ao Palmeiras. Assim, se virando com o que tem sem nenhuma convicção no que faz, o Verdão segue sem mudanças bruscas nem resultados confiáveis no centenário.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade