Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Kleina vê Tiago Alves "torto" e põe pontas para jogar no contragolpe

William Correia São Paulo (SP)

Definitivamente sem Alan Kardec, Gilson Kleina resolveu mudar o Palmeiras também por insatisfação com o que viu nas duas primeiras rodadas do Brasileiro. As más atuações na vitória sobre o Criciúma e, principalmente, na derrota para o Fluminense, geraram as mudanças que são as entradas de Serginho e o recém-contratado Henrique para enfrentar o Flamengo no domingo.

Na defesa, o técnico conversou com Tiago Alves e resolveu sacá-lo por conta de suas dificuldades para atuar ao lado de Lúcio. “O Tiago é um zagueiro espetacular, mas está um pouquinho torto pela esquerda e os adversários estão pressionando desse lado”, argumentando, preferindo recuar o volante canhoto Marcelo Oliveira para a zaga.

Na frente, a agilidade de Serginho, que também volta para marcar e com mais dinâmica do que Marquinhos Gabriel, além de chegar mais na linha de fundo. “Colocamos no ataque jogadores agudos, como o Serginho, que está treinando muito bem. O Marquinhos faz essa função, mas precisamos chegar mais”, explicou, beneficiando Henrique, o substituto de Alan Kardec.

“Não adianta eu colocar o Henrique e a bola não chegar pelos lados ou chegar com muito pouca ação. Temos um jogador de referência e precisamos saber usá-la com as chegadas de Wesley e Valdivia e com Serginho e Leandro pelos lados, o drible na linha de fundo é importante nesse esquema”, argumentou, confirmando as expectativas do técnico do Rubro-negro, Jayme de Almeida: o Verdão jogará no contra-ataque.

“Toda equipe fora tem essa postura. Se perde a bola, todos colocam o pé do meio para trás esperando o erro do adversário e, se não jogam com três atacantes, os meias de beirada viram atacantes. Vamos manter a mesma intensidade forte com que treinamos, e não é de hoje, posicionando a equipe no sentido da bola para ter as linhas próximas. Se igualarmos na parte tática, são importantes os dribles e o talento”, afirmou.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Técnico quebrou a cabeça para montar o time após a saída de Alan Kardec e jogará no contra-ataque no Maracanã
A preocupação em marcar é clara. “As coisas não aconteceram contra o Fluminense e a culpa é minha, mas falei com os jogadores: se está ruim para jogar, não pode estar ruim para marcar. E ficamos muito longe dos jogadores do Fluminense”, disse Kleina, confiando em Josimar para marcar na cabeça de área.

“O Flamengo marca forte e é uma equipe perigosíssima. Contra o Corinthians, mesmo com um a menos, foi ofensivo e, no Maracanã, vem com outra postura. Temos que saber fazer a leitura e recomeçar a ter aquela movimentação e equilíbrio do começo do ano. Nos pontos corridos, é importante ter regularidade somando pontos”, cobrou, nada satisfeito com os dois primeiros jogos do time no Brasileiro.

“Vendo os dois últimos jogos, mudamos para ter a equipe um pouquinho mais equilibrada. Dificilmente faço tantas trocas, mas, analisando os jogos, é necessário. Fico com a contenção mais fixa para ter equilíbrio e uma distribuição melhor. Não queremos sofrer como foi contra o Fluminense. Precisamos ter controle de jogo e uma equipe aguda sem dar espaços”, ensinou.

Gilson Kleina confirmou o Palmeiras para o jogo das 16 horas (de Brasília) deste domingo, no Maracanã, com: Fernando Prass; Wendel, Lúcio, Marcelo Oliveira e Juninho; Josimar, Wesley, Valdivia e Serginho; Leandro e Henrique.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade