Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Levir culpa falhas nas finalizações e gramado pesado por empate

Do correspondente Wanderson Lima Belo Horizonte (MG)

O técnico Levir Culpi entende que a falta de competência nas finalizações foi o principal fator para o duelo contra o Criciúma ter ficado na igualdade sem gols neste domingo, em Ipatinga. Segundo ele, o gramado pesado exigiu muito dos atletas na parte física e também dificultou as ações do Atlético-MG na partida. Por fim, o treinador vai cobrar dos comandados a falta de atenção que permitiu aos adversários criarem várias chances de gol.

“Essa partida foi muito desgastante na parte física. A primeira dificuldade que tivemos foi com o gramado alto, e isso puxou muito a parte física das duas equipes. Nós criamos a melhores oportunidades, estivemos mais perto do gol, mas estivemos perto de perder também. Eles tiveram duas, três oportunidades e faltou competência nas finalizações, tanto da parte do Criciúma, quanto do Atlético-MG”, analisou.

Questionado se a parte física tem se sobressaído em cima da técnica e da tática nos jogos do Brasileirão, o treinador alvinegro concordou que o aspecto físico tem ganhado importância cada vez maior nos jogos de futebol. Levir Culpi argumenta que o problema é geral, e não só do Atlético-MG.

“Eu não vi até agora nenhum jogo que foi jogado com toque, muitos passes, um jogo calmo. O ritmo aumentou muito e está todo mundo pegando muito forte na parte física, até passando por cima da parte técnica. A gente está deixando a desejar na parte técnica e tática em prol da parte física, mas as duas equipes estão de parabéns”, declarou.

Bruno Cantini/CAM
Levir Culpi reclamou do gramado pesado em Ipatinga e viu erros de pontaria dos dois lados

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade