Futebol/Mercado - ( )

Lúcio se usa como exemplo e prevê impaciência na adaptação de Gareca

São Paulo (SP)

Com negociações adiantadas, o Palmeiras vive a expectativa de anunciar a contratação de Ricardo Gareca até esta quarta-feira. Mas Lúcio já aponta problemas no provável novo técnico e lembra sua dificuldade de readaptação ao futebol brasileiro quando jogou no São Paulo, no ano passado.

“Sem dúvida, um técnico estrangeiro vai precisar ter tempo de adaptação e sabemos que o futebol brasileiro não tem paciência para isso”, indicou o capitão da equipe, avisando que não é só no Verdão que alguém vindo de outro país teria dificuldades.

“Não é apenas no Palmeiras, mas no Brasileiro, que não sei se ele acompanha. Vivi 12 anos na Europa e senti essa dificuldade. O clima é diferente, o ambiente das partidas também. Tudo isso muda”, continuou o veterano zagueiro.

Lúcio apresentou dificuldades técnicas e também teve problemas de relacionamento com os treinadores Ney Franco e Paulo Autuori, sendo impedido até de treinar nas dependências do São Paulo no segundo semestre do ano passado. Após rescindir seu contrato, acertou com o Verdão, onde é titular absoluto.

Embora dono da faixa de capitão, a diretoria não deve ouvir as contestações de Lúcio a alguém de fora do País. O presidente Paulo Nobre sempre se mostrou a favor de estrangeiros, principalmente porque treinadores de outras nações sul-americanas são mais baratos do que os brasileiros. Por isso, o argentino Marcelo Bielsa negociou com o clube antes de Gilson Kleina renovar seu contrato, em novembro.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Capitão teve problema de adaptação ao voltar para o Brasil e crê que técnico estrangeiro também sofrerá
Agora, Gareca se mostrou bastante animado com o projeto do Palmeiras, que topa pagar o valor fixo mensal de R$ 200 mil que desembolsava para Kleina. A quantia é superior aos R$ 185 mil que o Racing aponta como limite para contratá-lo. O técnico também está disposto a convencer a sua família a deixar o país.

Como jogador, Gareca atuou pelos principais clubes da Argentina e também pela seleção nacional. Como treinador, vem de trabalho de sucesso no Vélez Sarsfield, com quem conquistou três títulos participando do processo de ressurgimento financeiro do clube, parecido com o desafio que teria no Palmeiras.

Técnico interino, Alberto Valentim venceu os três jogos em que comandou o time desde a saída de Gilson Kleina e aposta em bons resultados de quem vier, mesmo sendo do exterior. “Não vai estragar nada. Não sei é estrangeiro ou brasileiro, mas o treinador vai ser um cara bem escolhido pela diretoria, vai dar continuidade ao trabalho que temos feito. Com certeza fará um bom trabalho”, declarou Alberto.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade