Futebol/Bastidores - ( )

Maior artilheiro do clube, Araújo não veste mais a camisa do Goiás

Goiânia (GO)

Foram 145 gols marcados em 391 jogos disputados. Esses números concedem a Araújo o status de ídolo esmeraldino, sendo o maior goleador da história do Goiás. Depois de duas passagens pelo clube, o atacante se despediu dos companheiros de elenco nesta quinta e nem sequer embarcou junto da delegação para a partida contra o Coritiba, no sábado, às 18h30 (de Brasília).

O jogador acredita que o baixo rendimento ofensivo, durante essa segunda passagem, decorre do fato de não ter tido muitas oportunidades para atuar como titular no ano passado, sob comando do técnico Ederson Moreira. Mas garante não guardar mágoas do período que amargou a reserva. “Não tenho nenhuma mágoa. Queria ficar mais, mas sabemos que o futebol é feito desses momentos. Só guardo coisas boas”, analisou o atacante.

Araújo optou por não rescindir o vínculo com o Goiás antes do término do contrato (que expira neste sábado, 31 de maio) para não perder o direito às eventuais bonificações e salários atrasados. Com a proximidade da data de término do contrato, o jogador decidiu se movimentar frente à inércia e ao desinteresse da diretoria esmeraldina em mantê-lo no elenco.

Aos 36 anos, o atacante que, ao se apresentar no ano passado, admitiu ter planos para encerrar a carreira no Goiás, deve desembarcar no Recife (PE) nos próximos dias para reforçar o setor ofensivo do Santa Cruz.

Essa não foi a primeira despedida de Araújo. Revelado no clube goiano, o atacante defendeu a cor verde em dois momentos distintos: o primeiro entre 1997 e 2003, e o segundo, entre 2013 e 2014. Em contrapartida ao bom momento vivido na primeira passagem, quando o jogador se lançou no futebol nacional, o retorno ao Goiás não atendeu as expectativas da maior parte dos diretores e torcedores: em pouco mais de um ano, Araújo disputou 39 jogos e marcou nove gols (todos pelo Campeonato Goiano 2014).

Divulgação/Goiás E.C.
De saída, Araújo não se diz magoado com ex-técnico Enderson Moreira pelo baixo rendimento.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade