Futebol - ( - Atualizado )

Mano se irrita com perguntas sobre recuo e pede fim de análise "simplista"

Marcos Guedes São Paulo (SP)

Várias das perguntas feitas a Mano Menezes na entrevista concedida na tarde de terça-feira, no CT do Parque Ecológico, foram relacionadas a um suposto recuo do Corinthians no empate por 1 a 1 com o São Paulo. O técnico mostrou irritação com essas questões, lembrou que o time sofreu por ter sido ofensivo no Campeonato Paulista e usou até a frase de um adversário em uma de suas longas respostas.

“Vi um jogador deles dizer que estava muito duro enfrentar a marcação do Corinthians, que eles sairiam com a vitória se a gente tivesse apresentado outro comportamento e saído mais para o jogo. Eu pergunto: devo fazer isso, então? Aí, eu sou irresponsável, para falar pouco. Se o adversário tem certeza disso, você deve jogar da maneira que o adversário gosta e quer?”, questionou.

“Muito se falou sobre recuo, e só se fala isso no futebol. Quando uma equipe tem dificuldade, fala-se que recuou. É uma visão muito simplista do que o futebol é. A equipe não recuou, porque jogou os 90 minutos da mesma maneira, propondo um tipo de jogo, para retomada de bola e saída rápida. Fez isso quando estava 0 a 0, 1 a 0 e 1 a 1”, comentou o gaúcho.

Divulgação/Agência Corinthians
Segundo Mano, "os passos seguintes serão, sem dúvida, na direção de melhorar a parte ofensiva"
Mano atribuiu a Muricy Ramalho e aos jogadores adversários a dificuldade enfrentada no domingo. E, discutindo de uma maneira mais ampla a questão dos sistemas defensivos, citou a carência de talentos na armação e a nem tão alta média de gols do milionário Campeonato Inglês como argumentos em favor dos técnicos que sofrem para botar times no ataque.

Voltando ao caso específico do Corinthians, o treinador recordou que herdou de Tite uma equipe muito boa defensivamente e em péssimo momento ofensivamente. Na tentativa de melhorar a produção na frente, ele falhou e viu a defesa ruir, motivo pelo qual teve de voltar a atenção a ela. Hoje, a retaguarda está mais segura, tendo levado só um gol nos últimos dez jogos. Agora, é tentar ajeitar o ataque.

“Tentamos ser muito ofensivos no Paulista, e o preço foi muito alto. Quando precisamos fazer a avaliação, entendemos que precisávamos cuidar mais da parte defensiva. A equipe melhorou bastante nesse aspecto, mas não tenha dúvida de que os passos seguintes serão na direção de melhorar a parte ofensiva. Sem perder a estabilidade defensiva, porque não adianta voltar a ser como era antes”, concluiu Mano.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade