Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Médico nega cortes, mas Brasil pode ter baixas em amistosos

Tossiro Neto, enviado especial Teresópolis (RJ)

O corpo médico da Seleção Brasileira garantiu, nesta quarta-feira, que não há entre os 23 convocados nenhum jogador com perspectiva ou risco de ser cortado da lista final para a Copa do Mundo. Por outro lado, admitiu que alguns passarão por "retoque" físico e poderão nem viajar para os amistosos da próxima semana.

"Estão todos em condições de treinar dentro de uma programação. Não significa que aqueles atletas que, porventura, não estiverem em campo estarão cortados. Estamos buscando fazer com que todos tenham o mesmo equilíbrio muscular, o mesmo condicionamento físico para a competição", disse o chefe do departamento, José Luiz Runco.

A programação de treinamentos foi traçada na noite de terça-feira. Não foram revelados quais jogadores dependerão de trabalhos específicos, mas é possível que alguns tenham que permanecer na Granja Comary enquanto o grupo viajar para enfrentar Panamá (em Goiânia, em 3 de junho) e Sérvia (em 6 de junho, em São Paulo). O meia Oscar, recém-recuperado de lesão, pode ser um deles.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Irônico, José Luiz Runco disse que a imprensa já "cortou" três jogadores por lesão: Maicon, Oscar e Jô
"Hoje, ninguém está fora, mas vamos aguardar", falou o preparador físico Paulo Paixão, ao destacar que a reformada sede da Confederação Brasileira de Futebol em Teresópolis dispõe de estrutura suficiente para que os atletas consigam atingir o estágio físico ideal antes da estreia na Copa, marcada para 12 de junho, contra a Croácia, em Itaquera.

Os eventuais desfalques para o primeiro amistoso serão conhecidos, segundo Paixão, entre sexta-feira e sábado. Até lá, o grupo tem ao menos mais dois dias de treinamento, todos eles combinando preparação física com bola.

A bateria à qual os jogadores foram submetidos inclui exames oftalmológico, otorrinolaringológicos e clínico-cardiológico-ortopédicos, além de testes isocinéticos e de ergoespirometria. "São todos exames de rotina que já fazíamos em outras ocasiões na Seleção", comentou Runco, que ironizou os boatos de que poderia haver cortes. "Foi um espetáculo", sorriu.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade