Futebol/Copa do Brasil - ( - Atualizado )

Moacir Júnior aprova atuação do América-MG, mas critica arbitragem

Do correspondente Wanderson Lima Belo Horizonte (MG)

O América-MG ficou no empate contra o Bahia, no jogo de ida pela Copa do Brasil, no Independência. O resultado não foi considerado um desastre pelo técnico Moacir Júnior, mas o treinador entende que poderia sido melhor se não fosse a arbitragem do catarinense Célio Amorim. Ele chegou a marcar pênalti em Obina, aos 28 minutos de jogo, e depois recuou, seguindo orientação do bandeira Carlos Rosemborg.

“Tenho que ter muita cautela para falar de arbitragem, porque neste campeonato a gente sempre se reencontra. Mas achei que o árbitro foi confuso. Isso acabou enervando jogadores das duas equipes. Ele marcou o pênalti em Obina e depois desmarcou, parou muito o jogo com faltinhas e deixou todo mundo nervoso. Após o jogo, inclusive, teve um princípio de bate boca desnecessário, justamente porque todos estavam bastante tensos”, comentou.

Mesmo com o empate, Moacir Júnior destacou o empenho de seus jogadores e considera que o time manteve o nível de crescimento dos últimos jogos, o que reforça sua confiança para o jogo da volta e sequência do Campeonato Brasileiro.

Divulgação/América Mineiro
Técnico gostou da movimentação do América--MG, mas lamentou decisões da arbitragem

“Mesmo diante de uma equipe da Série A, muito bem armada pelo Marquinhos (técnico do Bahia), tivemos uma apresentação muito competitiva. Nossa equipe conseguiu, principalmente na segunda etapa, apresentar um futebol de supremacia, pelas situações criada, que infelizmente não conseguimos reverter em gols”, analisou.

Para seguir na competição, o América-MG precisa de uma vitória simples, diante do Bahia, na próxima quarta-feira. Se houver outro empate sem gols, a decisão será nos pênaltis, o time volta a atuar pela Série B, no próximo sábado, a equipe encara o Bragantino, em Bragança Paulista.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade