Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Muricy já inicia mistério sobre substituto de Pato no clássico

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Mal havia acabado a partida contra o CRB, na quarta-feira, Muricy Ramalho foi questionado sobre o time que enfrentará o Corinthians, no domingo. O treinador do São Paulo aproveitou a distância até lá como desculpa para não responder, mas deu o primeiro indício de que essa dúvida só será desfeita minutos antes do jogo, em Barueri.

"Você (jornalista) está fazendo essa pergunta porque é seu trabalho, mas já sabe a resposta. Eu não vou te dar. De jeito nenhum. Acabou o jogo agora, e vou falar o time que vai jogar no domingo? Não tem tendência, não tem nada. Peço desculpa, mas não vou responder", disse, sorrindo.

É muito provável que ele não responda nem mesmo na sexta-feira, dia em que geralmente concede entrevista coletiva e em que comandará o último treino aberto para a imprensa antes do jogo. Outra tendência é que, neste dia, ele só libere o acesso dos jornalistas ao CT da Barra Funda depois de comandar um treinamento tático com os jogadores.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Treinador são-paulino deve fechar parte do treino de sexta-feira e provavelmente não revelará escalação titular
A grande dúvida na escalação é sobre quem será o substituto de Alexandre Pato. O atacante está contratualmente impedido de atuar contra o Corinthians, clube que detém seus direitos econômicos e que o emprestou ao São Paulo até o final de 2015, recebendo Jadson em troca - pelo acordo entre os rivais, o meia também não poderá ir a campo. Duas ausências lamentadas pelo treinador.

"Nosso time já está se acostumando a jogar com o Pato. Os jogadores estão se entrosando. Sem eles, quem perde é o futebol. A gente já não tem tantos grandes jogadores, a verdade é essa. Quem vai ver o jogo vai perder, porque os dois são grandes jogadores", salientou Muricy, responsável por ter escolhido a Arena Barueri - e não o Pacaembu - como opção ao Morumbi, que foi alugado pela diretoria para a realização de dois shows no final de semana.

"Escolhemos Barueri porque a gente acha que o Corinthians joga demais no Pacaembu. E porque o São Paulo também se dá bem, tem bom retrospecto lá", justificou o técnico. Foi em Barueri, em 2011, que o goleiro Rogério Ceni marcou seu centésimo gol na carreira, diante justamente do rival.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade