Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

No Morumbi, Pelé se preocupa em não se vincular a clube algum

Helder Júnior São Paulo (SP)

Pelé esteve no Morumbi nesta quinta-feira para lançar a “Casa Pelé do Futebol” – que promoverá uma exposição itinerante sobre a sua trajetória, shows com artistas como Claudia Leitte, Bell Marques e o DJ Fat Boy Slim, além de exibições dos jogos da Copa do Mundo no estádio do São Paulo. Durante a maior parte do evento, no entanto, ele se preocupou em não vincular a sua imagem com a do clube rival do Santos.

“Tenho a felicidade de ser recebido de braços abertos em qualquer lugar do Brasil que eu vá. Sou brasileiro. Não tenho uma equipe. Fui criado no Santos Futebol Clube, mas sou Brasil”, declarou Pelé, que era aplaudido com entusiasmo cada vez em que se pronunciava no Morumbi.

Presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar se encarregou de recepcionar Pelé e seguiu o protocolo de não se apropriar da imagem do ídolo santista. Ele ressalvou que foi a agência Front360 que alugou o Morumbi e firmou o contrato com Pelé, e não o seu clube. “Infelizmente, o São Paulo é locador desse espaço, e não parceiro do evento. Mas estou realmente muito emocionado e feliz. Será um local agradável e amistoso”, sorriu.

Foram amistosas também as referências de Pelé ao São Paulo de Aidar, com quem trabalhou na elaboração da Lei Pelé quando esteve no Ministério do Esporte. O ex-jogador se mostrou simpático até quando brincou sobre os seus feitos contra o clube do Morumbi. “Meus irmãos e amigos são-paulinos que me desculpem. Só que eu não tinha sorte apenas contra o São Paulo, mas contra todos os times. Não me importava se era São Paulo, Palmeiras ou Corinthians. A intenção era só dar alegrias a quem viesse me ver, e Deus era muito bom comigo”, discursou, sem mencionar o Santos.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Pelé se encontrou com Carlos Miguel Aidar, presidente do São Paulo, no evento do Morumbi
Quando falou sobre o time pelo qual se destacou, Pelé fez questão de englobar torcedores de outras equipes como seus fãs. “O Santos era e ainda é o segundo time de todos os brasileiros”, definiu, apesar de completar o raciocínio com uma pequena provocação ao grande rival. “Nossos irmãos corintianos diziam que eu tinha raiva do Corinthians. Como teria? O Corinthians só me dava alegrias.”

Rindo da piada de Pelé, Carlos Miguel Aidar se permitiu vislumbrar um dia em que poderá, de fato, vincular a imagem de Pelé à do São Paulo. “Hoje, estamos só cedendo o espaço. No futuro, ainda na minha presidência, espero fazer um evento nosso com o Pelé”, concluiu o presidente.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade