Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Oswaldo de Oliveira volta a pedir a permanência de Cícero no Santos

Do correspondente Tiago Salazar Santos (SP)

O Santos vive um momento conturbado dentro e fora de campo. Nesta domingo, a equipe empatou pela quinta vez no Campeonato Brasileiro e segue em situação complicada na tabela de classificação. Além disso, o time não para de perder jogadores. A bola da vez é justamente Cícero, principal jogador do time na opinião do técnico Oswaldo de Oliveira, mas que deve dar adeus nos próximos dias.

“Conto com o Cícero ainda. Faço questão de dizer. Não veio jogar hoje contra a minha vontade. Disse isso para ele e para as pessoas que participaram da reunião. Ele tem questões contratuais para serem resolvidas com a direção do Santos, mas minha expectativa é que ele permaneça”, avisou o treinador, após o 0 a 0 contra o Flamengo, no Morumbi.

Antes do duelo, em reunião com a diretoria santista e o staff do jogador, ficou decidido que o volante não atuaria para não completar o sétimo jogo com a camisa do Peixe neste Brasileirão, o que impediria uma eventual negociação com outro clube brasileiro.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Capitão do Santos durante a ausência de Edu Dracena, Cícero deve se transferir para o Fluminense
Com a ausência de deus principais jogadores e com a falta de resultados positivos, a pressão em cima do comando técnico de Oswaldo de Oliveira cresce a cada dia. Apesar de ter retrucado algumas cobranças públicas durante a semana, o treinador tenta se mostrar tranquilo com a situação.

“Acho questionamento muito relativo. Tem pessoas que têm uma outra ótica. E entendem. A gente sabe que a medida que os jogos passam, o resultado é o que é sempre levado em consideração. Na esteira do resultado, as coisas se complicam mais ou menos. Eu estou muito tranquilo em relação ao que tem sido feito. É uma situação que a gente não pode fugir. Estamos no meio de um turbilhão, jogando jogos de forma consecutiva. E aí é uma questão das pessoas raciocinarem. Quem analisa, quem torce. Estou muito tranquilo”, garantiu.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade