Futebol/Copa do Brasil - ( - Atualizado )

Paolo Guerrero e chefe ficam aliviados com fim do jejum de gols

Manaus (AM)

Paolo Guerrero não marcava um gol desde 22 de janeiro, e era óbvia a sua frustração. A cada bola que não entrava, o peruano dava chutes na grama e socos no chão, até que ele conseguiu finalmente balançar a rede, na noite de quarta-feira, na vitória por 3 a 0 do Corinthians sobre o Nacional-AM.

“Muito”, foi o que respondeu o centroavante, questionado sobre o alívio que estava sentindo. “Graças a Deus, consegui fazer o gol. Tive tranquilidade. Vou seguir trabalhando forte, não posso deixar parar”, acrescentou o camisa 9, que aproveitou um rebote do goleiro Jairo para deixar sua marca.

O alívio não foi só do atacante, que havia marcado uma só vez em 2014. O técnico Mano Menezes espera agora uma eficiência maior do jogador, artilheiro do Corinthians na última temporada e herói do time na histórica conquista do Mundial de Clubes de 2012.

Divulgação/Agência Corinthians
Paolo Guerrero é abraçado pelos companheiros depois de voltar a fazer o que mais gosta (foto: Rodrigo Coca)
“É mais importante para ele do que para a gente tirar esse peso. Ele costuma fazer bem o papel de pivô, e fez isso mais uma vez hoje, mas, quando não marca, fica incomodado. É natural. Agora, outras bolas vão entrar mais naturalmente”, comentou o treinador.

Após um período de problemas físicos, Guerrero começou o Campeonato Brasileiro como reserva e voltou a ser escalado na segunda rodada, na vitória por 2 a 0 sobre o Flamengo. Não foi bem, mas seguiu entre os titulares e conseguiu, na Copa do Brasil, fazer o que mais gosta.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade