Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

Para poupar “quebra-cabeça” de Jayme, Flamengo corre atrás de meia

Gazeta Press Rio de Janeiro (RJ)

A diretoria do Flamengo continua procurando no mercado a contratação de um jogador que possa dar mais qualidade ao meio-de-campo. O pedido foi feito pelo técnico Jayme de Almeida tão logo quando terminou a participação do time na Copa Libertadores e no Campeonato Carioca. A preocupação do comandante é com a falta de qualidade do setor, que o tem obrigado a buscar alternativas quase que a cada jogo para tentar melhorar o desempenho dentro das quatro linhas.

A preocupação de Jayme é compartilhada pelos dirigentes. O presidente Eduardo Bandeira de Mello reconheceu que o clube está atento aos atletas que o mercado tem oferecido, mas admite uma certa dificuldade para acertar com algum possível reforço da equipe rubro-negra.

“O Flamengo está atento ao mercado para procurarmos reforços, pois sabemos que a torcida, assim como eu, está preocupada. Perdemos o Elias, que não conseguimos recontratar. O Carlos Eduardo deve sair quando o contrato acabar (em junho). Tudo isso nós sabemos e estamos olhando, mas não podemos fazer loucuras, comprometer o pagamento dos impostos ou da folha salarial para aliviar essa pressão”, disse Bandeira de Mello em entrevista à Rádio Tupi, do Rio de Janeiro, tentando acalmar os torcedores.

Alexandre Vidal/Fla Imagem
Com a falta de opções no elenco rubro-negro, Lucas Mugni ganhou espaço e vem sendo usado como titular
Além de um meia o clube também procura um atacante que possa disputar posição com Negueba e Paulinho. Esse jogador teria que ser de mais movimentação, já que o atual elenco conta com dois centroavantes: Alecsandro e Hernane. O colombiano Franco Arizala, que atua no León, do México, foi oferecido e seu nome vem sendo estudado pela diretoria, que na semana passada perdeu a queda de braço com o Palmeiras por Henrique.

Ainda sobre finanças, na noite desta segunda-feira, o Conselho Deliberativo do Flamengo aprovou a renovação de vínculo do patrocínio com a Caixa Econômica Federal por mais um ano. O valor recebido pelo clube gira em torno de R$ 25 milhões e contribuiu para que a diretoria conseguisse cumprir todas as metas de patrocínio traçadas para a atual temporada. O Rubro-Negro, na mesma reunião, aprovou seu novo terceiro uniforme, que será lançado apenas em 2015 e utilizado apenas em partidas pontuais no Rio de Janeiro.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade