Futebol Internacional/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Presidente do México recorda 1970 e pede "troco" contra a Seleção Brasileira

Cidade do México (México)

Durante a cerimônia solene da entrega de bandeira, comum no período que antecede a Copa do Mundo, o presidente do México, Enrique Peña Nieto, discursou com otimismo e fez questão de motivar a equipe de seu país. Na visão do mandatário, o território norte-americano tem um dever: “devolver” a derrota sofrida no Mundial de 1970, quando a Seleção Brasileira conquistou o tricampeonato, no Estádio Azteca, diante da Itália.

“Todos os mexicanos confiam em vocês para que, no próximo dia 13, conquistem a taça do Mundial para o nosso país. O Brasil teve o privilégio de vencer essa competição, em nossos domínios, no ano de 1970. Agora, cabe ao México ganhar na terra deles em 2014”, bradou entusiasmado.

Adiante, Peña Nieto fez questão de exaltar os atletas mexicanos, ressaltando a importância de cada um para a promoção do esporte no país: “Cada um de vocês é uma personalidade individualmente reconhecida no futebol. Essa é uma oportunidade de fazer história, construindo uma campanha de êxito na Copa do Mundo. Joguem como uma equipe e ganhem como os vencedores que são”, discorreu.

Durante o evento, seis jogadores da seleção (Rafa Márquez, Chicharito Hernández, Oribe Peralta, Carlos Peña, Raúl Jiménez e Héctor Moreno) participaram de um desfile militar e caminharam em marcha, como soldados, para receber a bandeira. O encarregado do artefato foi o capitão Márquez, que segurou o símbolo de sua pátria ao som da banda militar.

Antes de estrear no Mundial, diante de Camarões, no dia 13 de junho, o México protagonizará amistosos com Israel, Equador, Bósnia e Portugal, em ordem cronológica. O primeiro deles, diante dos israelitas, ocorre nesta quarta-feira, às 22h30 (de Brasília).

AFP
"O Brasil teve o privilégio de vencer no ano de 1970. Agora, cabe ao México ganhar em 2014”, ressaltou Peña

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade