Futebol/Liga dos Campeões - ( - Atualizado )

Real x Atlético: 109 anos de história resumidos em apenas um jogo

Lisboa (Portugal)

Na história do grande clássico da capital espanhola, são 109 anos de muita rivalidade, disputas e finais que chegam agora ao ápice. Real Madrid e Atlético de Madri decidem, neste sábado, a Liga dos Campeões. O confronto será o primeiro da história entre equipes da mesma cidade. A partida está marcada para as 15h45 (de Brasília) e será também a quinta decisão entre times do mesmo país. O confronto em Lisboa (Portugal) promete esquentar muito mais do que a região ibérica da Europa, o Estádio da Luz e os bares de Madri.

Lisboa: por um dia, a capital espanhola da Europa

Atlético de Madri e Real Madrid chegam à decisão da Liga dos Campeões com méritos. Ambas equipes tiveram, juntas, as melhores campanhas da fase de grupos da competição, com cinco vitórias e um empate cada. A ligeira vantagem do Real era no saldo de gols: 15 contra 12. No mata-mata a situação ficou parecida. Nos seis jogos que levaram os madrilenhos até Lisboa, o Atlético conquistou quatro vitórias e dois empates. O Real, por sua vez, venceu cinco e perdeu apenas um jogo. Para a equipe merengue conquistar o décimo título, entretanto, precisará tirar a invencibilidade do rival na Liga dos Campeões.

La Decima x La Primera

A decisão entre os grandes rivais de Madri também é um confronto entre a história das duas equipes, que nem se comparam quando o assunto é Liga dos Campeões. Maior campeão do torneio com nove títulos, o Real Madrid vai em busca da décima taça, a “La Decima”, como os torcedores merengues têm chamado. Já o ‘primo (não mais tão) pobre’ Atlético decidiu a competição apenas uma vez, em 1974, mas acabou derrotado para o Bayern de Munique. Os Colchoneros querem debutar com a taça nesta temporada.

AFP
Cristiano Ronaldo é o grande nome do Real Madrid
Cristiano Ronaldo: o Protagonista

Se para este sábado o mundo todo espera um grande desempenho de Cristiano Ronaldo, o jogador quase foi do céu ao inferno em 2008. Na decisão da Liga dos Campeões entre Manchester United e Chelsea, o então camisa 7 dos Red Devils fez o primeiro gol do empate em 1 a 1 entre as equipes no tempo normal. Nos pênaltis, porém, o jovem de 23 anos desperdiçou a sua cobrança e, se não fosse o erro de John Terry na última penalidade, acabaria responsável pela derrota do Manchester. No fim, o United se sagrou campeão, erguendo a terceira taça da equipe. Na temporada seguinte, Cristiano Ronaldo seria contratado pelo Real Madrid na maior transição da história do futebol até então: 93 milhões de euros. A ideia do presidente Florentino Perez, ainda no cargo, era levar os galácticos de volta a glória da Liga dos Campeões, o que demorou cinco anos para acontecer. Os valores só seriam superados no início desta temporada, quando o galês Gareth Bale foi contratado pela equipe merengue junto ao Tottenham, por 100 milhões de Euros.

A esquadra de Diego Simeone

Em apenas seis anos de carreira, o treinador argentino saiu do título nacional com o Racing (ARG) para chegar à decisão do torneio de clubes mais importante da Europa. O treinador desembarcou ao Atlético de Madri em 2011 e conquistou a Liga Europa na temporada seguinte, além da Copa do Rei (contra o próprio Real Madrid). Porém, é em 2013/2014 que Simeone faz história no comando da equipe colchonera. Além da possibilidade de conquistar a Liga dos Campeões, o Atlético foi campeão do Campeonato Espanhol após quase duas décadas de espera.

AFP
Diego Costa ainda não sabe se jogará decisão
Diego Costa e o tratamento com éguas

O atacante hispânico-brasileiro Diego Costa está fazendo de tudo para atuar na decisão da Liga dos Campeões e na Copa do Mundo. O jogador saiu de campo ainda na primeira etapa da decisão do Campeonato Espanhol, no último sábado, contra o Barcelona, e viu do banco de reservas o empate fora de casa que deu ao Atlético o título da competição. Diego Costa viajou até a Sérvia para buscar um tratamento à base de placenta de éguas, o que acelera a recuperação da sua lesão na coxa esquerda. O jogador só saberá se vai atuar na decisão minutos antes da partida.

Brasileiros em campo

A decisão da Liga dos Campeões está recheada de brasileiros. Pelo lado Colchonero, o lateral-esquerdo Filipe Luís, o zagueiro Miranda, o meia Diego e o atacante Diego Costa nasceram no Brasil. Já no elenco do Real, o zagueiro Pepe, o lateral esquerdo Marcelo, o meia Casemiro e o atacante Willian José são os representantes. Apesar dos sete nomes, dois deles são naturalizados e não defendem a Seleção Brasileira: Pepe (Portugal) e Diego Costa (Espanha). Marcelo é o único convocado por Luís Felipe Scolari para a Copa do Mundo. Filipe Luís e Miranda estão na lista “reserva” para a competição. O zagueiro, inclusive, é o jogador que mais atuou nesta Liga dos Campeões, com 1080 minutos jogados em 12 partidas.

Números

Real Madrid tem o melhor ataque da competição, com 37 gols. O Atlético, terceiro colocado, tem apenas 25.
Ambas equipes não têm como característica a posse de bola, tão utilizada por Barcelona e Bayern de Munique. Porém, tanto Atlético quanto o Real venceram tais equipes no torneio.
Carlo Ancelotti busca o terceiro título como treinador. O italiano venceu em 2002/2003 e 2006/2007, no comando do Milan. O treinador se juntará a Alex Ferguson, Marcelo Lippi e Miguel Muñoz na lista de comandantes que mais disputaram a final da competição, com quatro participações.
Koke e Gabi, do Atlético, devem se tornar os atletas que percorreram a maior distância em campo na competição. Ambos estão atrás de Alaba, do Bayern de Munique.

AFP
Lisboa já está caracterizada para a decisão da Liga dos Campeões, neste sábado, no Estádio da Luz.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade