Futebol/Copa do Mundo - ( - Atualizado )

Representante da França elogia andamento das obras no Santa Cruz

Ribeirão Preto (SP)

Se a maioria das obras para receber a Copa do Mundo em pouco mais de um mês estão atrasadas, a reforma no Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto, já se encontra em estágio avançado. Nesta semana, o gerente de seleções da Federação Francesa de Futebol, Erwan Le Prévos, visitou a cidade do interior paulista e afirmou que faltam apenas pequenos detalhes para finalizar o cronograma.

“As obras de maior importância já foram feitas. Agora só falta a instalação de alguns equipamentos, como os armários dos vestiários. Tudo estará pronto a tempo”, disse o representante da delegação francesa, que investiu cerca de R$ 230 mil em melhorias no estádio Santa Cruz, como pintura das arquibancadas e reforma nos vestiários.

De acordo com a diretoria do Botafogo-SP, as obras já devem ser finalizadas no dia 15 de maio, data na qual o estádio será entregue à Federação Francesa. A seleção comandada por Deschamps, no entanto, chegará a Ribeirão Preto apenas no dia 9 de junho, depois de realizar um amistoso contra a Jamaica.

Divulgação
O gerente de seleções, Erwan Le Prévos, visitou Ribeirão nesta semana (Crédito: Luiz Augusto/Agência Botafogo)
O curto espaço de tempo até a estreia, que será no dia 15 de maio, contra Honduras, no Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, também não é motivo de preocupação. De acordo com Erwan Le Prévos, foi feita uma consulta prévia com o departamento médico, e os jogadores precisarão de apenas um dia para se acostumar com a diferença no fuso horário.

O cronograma apertado, aliás, pode impedir com que a seleção francesa enfrente o Botafogo-SP em um jogo-treino. “No dia 8 de junho, a França ainda tem um jogo amistoso. O que pedimos ao Botafogo foi acertar um jogo-treino, mas ainda não tem nada definida”, explicou o gerente de seleções, sem garantir que haverá um amistoso para o público de Ribeirão Preto.

Até o momento, cerca de 25 mil franceses já confirmaram presença nas três cidades (Porto Alegre, Salvador e Rio de Janeiro) que receberão a equipe europeia ao longo da primeira fase. Desta forma, Erwan Le Prévos se apoia na movimentação do turismo na cidade para explicar o legado que será deixado pela seleção.

“Honestamente, não conhecíamos Ribeirão Preto, mas, depois do anúncio, muitas pessoas procuraram a Federação para buscar informações para a cidade. Isso passa confiança aos franceses. Para o Botafogo, ficará como legado a renovação completa dos vestiários. Para a cidade, é significativo o número de pessoas querendo saber sobre o local, o que pode movimentar o turismo e a economia”, completou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade