Futebol - ( - Atualizado )

Ricardinho ganha abraço de Marcelinho e exalta harmonia do passado

Helder Júnior São Paulo (SP)

Agora com os cabelos completamente brancos, Ricardinho voltou a vestir a camisa do Corinthians e a formar parceria com o antigo desafeto Marcelinho Carioca. A dupla esteve junta em ação no último dos seis amistosos que inauguraram o estádio do clube em Itaquera, na Zona Leste de São Paulo, neste sábado.

Além de Marcelinho e Ricardinho, o time contava com Fábio Luciano, Nenê, Rincón, Vampeta, Edílson, entre outros ex-corintianos vitoriosos no final da década de 1990 e no início da de 2000. Os ex-atacantes Luizão e Dinei comiam em um dos camarotes da arena naquele momento e apenas observaram os amigos correrem no gramado.

Durante a partida, Marcelinho (ovacionado) deu alguns passes para Ricardinho (que não chamava a atenção do público), o jogador que provocou a sua saída do Corinthians em 2001 por causa de uma briga. Quando Edílson marcou um gol de cabeça, os dois se abraçaram no gramado, parecendo ter deixado de lado os velhos rancores.

Para Ricardinho, no entanto, os desentendimentos do elenco que defendeu no Corinthians não merecem tanto destaque. Ao deixar o estádio com os seus filhos, enquanto ouvia alguns pedidos por autógrafos e fotografias, ele garantiu que havia união naquele grupo.

“Os problemas, se tivemos, foram todos no âmbito profissional. Sempre nos demos muito bem. Existia harmonia. Se não houvesse isso, a gente dificilmente conseguiria ganhar alguma coisa. É assim em qualquer área. As divergências eram situações normais de quem quer vencer, sempre ocorrendo com muito respeito”, comentou Ricardinho.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Antigos desafetos, Marcelinho e Ricardinho voltaram a jogar juntos na inauguração da Arena Corinthians
O campeão mundial de 2000 ainda valorizou o reencontro com os seus ex-companheiros. “Foi muito legal, não só pelo fato de termos jogado juntos de novo. O Corinthians teve uma iniciativa campeã ao inaugurar o seu estádio assim. Consequentemente, revi o time que conquistou tantos títulos para o torcedor. Depois de vários anos, foi um dia especial, marcante”, discursou.

Na relação de mais de 100 ex-jogadores presentes na festa, porém, alguns nomes causaram estranheza nos torcedores. Ricardinho, por exemplo, não era só questionado pela briga com Marcelinho. Ele causou revolta ao trocar o Corinthians pelo rival São Paulo em 2002. “Falam do Alan Kadec, que foi para o São Paulo agora, mas as situações não se assemelham. Cada um vive a sua história. Já foi assim comigo, com o Ganso e com outros jogadores. Cada um tem o seu momento”, diferenciou.

A partir deste fim de semana, no entanto, Ricardinho pareceu ter reencontrado a paz com Marcelinho e os seus seguidores corintianos. “Sempre recebi carinho da torcida do Corinthians, talvez por causa do trabalho, do comportamento e das conquistas. Isso é gratificante. Hoje, senti um ambiente muito legal e interessante aqui. Revivemos coisas positivas, histórias engraçadas”, comentou.

Com a intenção de dar sequência à carreira de técnico, que iniciou com passagens por Paraná, Ceará e Avaí, Ricardinho poderá voltar ao estádio do Corinthians durante a Copa do Mundo. Ele atuará como comentarista de uma emissora de televisão a cabo.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade