Futebol/Bastidores - ( )

Sem prometer títulos, argentino garante: “não estou aqui improvisado"

Yan Resende, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

Anunciado oficialmente pelo Palmeiras neste sábado, Ricardo Gareca mostrou muita seriedade ao projetar o seu trabalho à frente do clube do Palestra Itália. Ciente da grandeza do desafio que terá pela frente, o comandante argentino ressaltou a palavra “ganhar” em vários momentos da entrevista coletiva, mas preferiu evitar qualquer promessa ao torcedor no ano do centenário alviverde.

“Eu não posso prometer títulos, não sei o que vai passar amanhã, vivo o presente. Única coisa que posso prometer é deixar o meu máximo à disposição do Palmeiras”, explicou o argentino, que demonstrou muita vontade de atuar no futebol brasileiro desde os primeiros contatos da diretoria palmeirense.

A determinação do novo comandante também ficou evidente ao abordar o período de adaptação no Brasil. Ricardo Gareca sequer pediu paciência da torcida alviverde pelo fato de ele nunca ter treinado nenhum time do país. Preparado para o desafio, o treinador alegou que não faz parte de nenhum improviso.

Fernando Dantas/Gazeta Press
O comandante argentino ressaltou a palavra “ganhar” em vários momentos da entrevista coletiva desta sexta
“Não quero que me deem nada de presente, mas eu tenho que ganhar, essa é minha expectativa. Não estou aqui improvisado, tenho 20 anos de carreira como técnico, dirigi muitas equipes, sei da importância do futebol no Brasil, e chego preparado para dirigir o Palmeiras. Isso não significa que terei resultados”, garantiu o comandante, mantendo cautela.

Desde que desembarcou no Brasil na última quarta-feira, dia do acerto com o Verdão, Ricardo Gareca vem sendo alvo de brincadeiras por causa de sua semelhança física com os cantores Roberto Carlos e Mick Jagger, mas, apesar de ter se mostrado bastante atencioso ao longo da apresentação, não quis tocar no assunto. “Já li alguns apelidos que me colocaram, mas não vou falar disso”.

Sendo assim, o treinador pôde manter um discurso firme e completou sua resposta voltando a falar de seus novos jogadores. “Só falo do estilo do time, e gosto de time que jogue bonito. Esse é meu desafio no Palmeiras. Preciso conversar com os jogadores e definir rapidamente uma maneira de jogar. Quero que o Palmeiras seja protagonista”.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade