Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Sheik contesta caráter de Lúcio: “Me chamou de gay como se fosse monstro"

Presidente Prudente (SP)

Após um desentendimento entre o zagueiro Lúcio e o atacante Emerson Sheik, no primeiro de Palmeiras e Botafogo, que chegaram a trocar empurrões, o árbitro Héber Roberto Lopes puniu apenas o atacante Alvinegro com o cartão amarelo, o seu terceiro, que o tira da partida contra o Corinthians. Indignado no intervalo, Sheik chamou o jogador palmeirense de preconceituoso, afirmando que foi chamado de gay.

“Ele me chamou de gay como se eu fosse um monstro. Isso não serve para quem tem sua opção sexual bem definida, não sou gay. Mas, ele é considerado mau caráter no meio da galera. Para ele, deve ser normal fazer isso. Ele é preconceituoso”, declarou o ex-corintiano, que foi alvo de xingamentos da torcida palmeirense, que gritava “bichona” toda vez que ele pegava na bola.

Em 2013, quando ainda jogava no Corinthians, Emerson Sheik publicou na internet uma foto em que dá um selinho em um amigo. A foto causou grande alvoroço, mesmo entre os torcedores de sua equipe. Para Lúcio, tudo não passou de um lance comum da partida. O zagueiro defende que não ficou pensando em apenas um jogador durante o jogo.

“Estou jogando minha bola e pensando no Palmeiras, não em nenhum jogador. Para mim, é normal. Penso no Palmeiras e em jogar bola, precisamos fazer o gol e sair com a vitória”, definiu.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade