Futebol/Bastidores - ( )

Show no Morumbi enfraquece São Paulo em semana importante

Tossiro Neto São Paulo (SP)

O jogo deste sábado (contra o Coritiba, no Pacaembu) será o primeiro de uma série de três em que o São Paulo será mandante, mas não jogará no Morumbi. A diretoria alugou o estádio para a realização de dois shows da banda britânica One Direction, em 10 e 11 de maio, o que será bom para as finanças do clube, mas não para o time, no entendimento do técnico Muricy Ramalho.

"Nosso campo é o Morumbi. A gente gosta de jogar no Morumbi, estamos acostumados. Lá, nossa estatística é boa", disse, na sexta-feira, véspera do terceiro compromisso do Campeonato Brasileiro, marcado para 18h30 (de Brasília).

Apesar da campanha ruim na edição passada, a estatística do São Paulo é realmente boa em casa na competição nacional. Em 560 jogos disputados desde 1971, foram apenas 92 derrotas. O time venceu 325 vezes e empatou outras 143. Um aproveitamento de 66,5% dos pontos. Além disso, nos últimos oito anos, a média de público no Morumbi foi superior a 20 mil pessoas.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Estádio costuma ser um dos diferenciais da equipe, que foi tricampeã brasileira (2006, 2007 e 2008) com Muricy
Se tira a equipe do seu campo por um tempo considerável - não só no dia do show, mas também nos anteriores, para a preparação de palco e camarotes -, a cessão do estádio é boa para os cofres do clube. Em 2012, o São Paulo ganhou 8,4 milhões com a realização de eventos no Morumbi. No ano passado, mesmo com a procura menor de interessados e a preocupação da diretoria em não atrapalhar a campanha na Copa Libertadores, a arrecadação com alugueis foi de 3,7 milhões.

"É importante esse lado no futebol, e a gente tem que respeitar o clube. Tanto que todos os estádios estão se transformando em arenas, para fazer shows e tudo mais. Hoje em dia, é difícil viver só das coisas do futebol. Tem que procurar alternativas, e a gente tem que entender isso", minimiza Muricy, que sugeriu o Pacaembu também para o duelo decisivo com o CRB (na quarta-feira, pelo mata-mata da Copa do Brasil) e a Arena Barueri para o clássico de 11 de maio, contra o Corinthians.

"O Pacaembu é um lugar central, para o torcedor é ótimo. Barueri também é bom", avaliou o treinador, que se preocupou em não escolher o estádio municipal para o terceiro compromisso da série por se tratar de um local no qual o rival está mais habituado a atuar.

Em resposta às críticas de que pode ter prejudicado a equipe, a diretoria lembra que tem tentado desde o ano passado aprovar o projeto de reforma de modernização do Morumbi, o qual prevê, além da cobertura do estádio e de novos estacionamentos, a construção de uma arena multiuso, a qual diminuiria o prejuízo ao futebol. Nas duas primeiras vezes em que o tema foi convocado, o grupo político de oposição vetou sua votação ao esvaziar o quórum do plenário - o estatuto exige a presença mínima de 75% dos conselheiros para que a matéria seja votada.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade