Futebol/Copa 2014 - ( )

Software inglês e ex-zagueiro ajudam Brasil a mapear 16 rivais

Tossiro Neto Teresópolis (RJ)

Assim que quiser, Luiz Felipe Scolari já tem à disposição análises detalhadas de 16 equipes que disputarão a Copa do Mundo. São muitos os meios utilizados para isso. Um dos principais é um programa de computador comprado pela Confederação Brasileira de Futebol.

"Praticamente ganhamos esse software. É um dos melhores para isso, um software inglês. Nele, nós temos acesso a todos os jogos de todas as equipes", disse o coordenador técnico da Seleção Brasileira, Carlos Alberto Parreira, cujo trabalho é munido ainda de outras fontes, como o auxílio tradicional de observadores, que assistem presencialmente a jogos dos futuros adversários.

Roque Júnior, zagueiro campeão mundial sob comando de Felipão, em 2002, é um desses olheiros. O convite foi feito justamente pelo treinador, que, ao contratá-lo, há dois meses, lembrou que o ex-jogador, com quem trabalhou também no Palmeiras, sempre mostrou aptidão e conhecimento tático, além de ter feito um curso na Itália.

Rafael Ribeiro/CBF
Thiago Larghi, analista de desempenho da CBF, é outra fonte de auxílio da comissão técnica brasileira
"Nesse aspecto, a Seleção está bem servida, não será surpreendida. Temos dois observadores, o Roque Júnior e o Gallo (Alexandre Gallo, coordenador das seleções de base e que atuou como observador também para a Copa das Confederações de 2013), e temos muita gente ajudando extraoficialmente", reforçou Parreira.

"Dezesseis equipes que vão participar dessa Copa já estão totalmente observadas. Quem são os melhores jogadores, os piores, seus corners (escanteios), faltas, laterais, pênaltis, todos os detalhes. Não estamos pensando só nos nossos adversários da primeira fase, mas mais à frente também. Não pode se restringir a uma equipe. Nós já nos adiantamos", concluiu.

Quem auxilia os membros da comissão no estudo desses dados – e coleta informações também da própria Seleção – é Thiago Larghi. O analista de desempenho, que já ajudou Felipão a obter informações importantes para convocações, tem preparado os materiais de eventuais adversários, com vídeos não só de Croácia, México e Camarões, mas também das principais potências mundiais, as quais o Brasil poderá encontrar no mata-mata.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade