Futebol/Copa do Mundo - ( - Atualizado )

Treinador do Equador teme violência em protestos contra a Copa

Quito (Equador)

Os atos contra a realização da Copa do Mundo no Brasil já chegaram ao conhecimento das delegações que chegarão ao país em junho para a disputa da competição. O treinador do Equador, por exemplo, foi um dos representantes das seleções participantes que já demonstrou sua preocupação com a falta de segurança.

Reinaldo Rueda, que escolheu a pequena cidade gaúcha de Viamão para realizar a preparação de seu grupo, manifestou sua opinião com relação aos protestos no Brasil, pedindo segurança para os seus jogadores ao longo do Mundial. Para o treinador, este tipo de acontecimento altera a imagem do brasileiro no exterior.

“É triste por tudo o que significa a concepção da imagem que o Brasil tem no mundo todo, sempre com festa e alegria, que vai fazer o melhor Mundial, por tudo o que significa historicamente o futebol para eles, que são os reis do futebol”, afirmou o comandante do Equador, que pediu também uma postura rígida da Federação.

AFP
O treinador do Equador já demonstrou sua preocupação com a falta de segurança no país da Copa
“Nós, como Federação Equatoriana, temos que tomar medida para assumir esse grande desafio. Se os violentos são em maior número, os que amam o futebol e vivem para o futebol podem realizar esse Mundial sem nenhum contratempo”, completou o treinador, que é colombiano, mas tem a missão de surpreender com o Equador.

Em tom mais tranquilo, Reinaldo Rueda também falou sobre as medidas que a Fifa deve tomar com relação às manifestações. O treinador lembrou que a entidade já teve problemas durante a Copa das Confederações e deve priorizar as condições de segurança ao longo do Mundial deste ano.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade