Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Alemanha sofre, mas supera a Argélia na prorrogação por 2 a 1

Do correspondente Vicente Fonseca Porto Alegre (RS)

Foi muito mais sofrido do que a grande maioria dos germânicos certamente imaginava. Em um jogo onde chegou a tomar sufoco em determinados momentos, a favorita Alemanha precisou da prorrogação para bater a Argélia por 2 a 1 e chegar às quartas de final da Copa do Mundo. Schurrle e Özil marcaram para os alemães. Djabou descontou para as raposas do deserto no último lance do jogo.

A Alemanha teve imensas dificuldades ao longo de toda a partida. Mesmo fechada, a Argélia foi mais objetiva com a bola nos pés, e criou várias chances de real perigo nos 20 minutos iniciais. Os alemães só passaram a ser presentes no ataque e encontrar espaços na segunda metade da etapa inicial, mas tinham dificuldades diante da bem postada retaguarda argelina.

No segundo tempo, o panorama não foi muito diferente. A Alemanha teve problemas de criação e só foi criar chances após os 30 minutos, depois de sofrer com alguns contra-ataques da Argélia. A partida acabou indo para a prorrogação, onde os alemães marcaram seu gol logo no começo e a partir de então administraram a vantagem. Özil ampliou aos 14, mas Slimani descontou aos 16, em um final emocionante no Beira-Rio.

A Argélia está eliminada, mas saiu do Beira-Rio aplaudida de pé pelo empenho demonstrado em campo. Classificada, a Alemanha agora enfrentará a França nas quartas de final – deste confronto sairá o adversário de Brasil ou Colômbia na semifinal. A partida ocorrerá sexta-feira, no Maracanã, às 13h, horário de Brasília.

Edu Andrade/Gazeta Press
A equilibrada partida, disputada no Estádio Beira-Rio, teve a arbitragem do brasileiro Sandro Meira Ricci
O jogo – A Alemanha iniciou o jogo tentando tomar a iniciativa, mas tinha pela frente uma Argélia muito fechada no esquema 3-6-1. A estratégia dos africanos era aproveitar a lentidão da zaga germânica através de lançamentos para o matador Slimani. Aos 9 minutos, ele escapou da marcação e ia passando pelo goleiro Neuer fora da área, mas o arqueiro alemão conseguiu travar o chute com um carrinho. No minuto seguinte, foi lançado no mano a mano, com Mertesacker, que conseguiu um ótimo desarme na hora certa.

A primeira boa chegada da Alemanha ocorreu aos 13 minutos, em chute de longe de Schweinsteiger defendido em dois tempos por M’Bolhi. A resposta argelina foi rápida: Feghouli invadiu a área pela direita, cortou a marcação e chutou com muito perigo, perdendo grande chance. Aos 15, Slimani marcou de cabeça após cruzamento de Ghoulam, mas a arbitragem assinalou impedimento corretamente, anulando o tento. Dois minutos mais tarde, Ghoulam entrou livre nas costas da defesa e quase marcou em chute cruzado.

A Alemanha conseguiu sair da pressão só a partir dos 20 minutos, mas ainda tinha muitas dificuldades, pois a Argélia não dava espaços. Aos 23, Özil recebeu pela esquerda, tentou cruzar e acabou mandando direto, mas M’Bolhi deu tapinha para escanteio. Cinco minutos depois, Özil cruzou da direita, Müller fez o corta-luz e Kroos chutou em cima da zaga. Aos 33, Schweinsteiger cruzou, Müller se antecipou à zaga e cabeceou pela linha de fundo.

Edu Andrade/Gazeta Press
Com atuação destacada, o goleiro M'Bolhi foi essencial para encaminhar a disputa ao tempo extra
A Argélia já não dominava como antes, mas ainda assim levava perigo ao gol de Neuer. Aos 38, Mostafa pegou rebote da intermediária, a bola desviou em Boateng e quase enganou o goleiro alemão. No minuto seguinte, a melhor chance alemã na etapa inicial: Kroos bateu da entrada da área, M’Bolhi soltou, Götze entrou livre, mas o goleiro argelino fez milagre e salvou o gol. Aos 43, Kroos quase acertou o ângulo em chute do meio da rua.

Com Schurrle no lugar de Götze, a Alemanha voltou mais agressiva do intervalo. Aos dois minutos, sem que a Argélia tivesse tocado na bola desde a saída para o segundo tempo, o próprio Schurrle invadiu a área pela direita e chutou. A bola desviou na zaga e quase entrou. Na cobrança do escanteio, Mustafi cabeceou e M’Bolhi defendeu. Aos 5, num rápido contra-ataque argelino de quatro contra três, Taider chutou em cima de Boateng, que salvou a equipe europeia. Aos 9, a resposta: Müller recebeu na área e recuou para Lahm chutar no ângulo, mas M’Bolhi fez grande defesa.

O jogo, então, caiu bastante de ritmo. Se qualquer criatividade, a Alemanha não chegava com perigo à meta argelina. Sentindo que o bicho não era tão feio, a Argélia partiu para cima de novo. Aos 28, Feghouli chutou cruzado com grande perigo. No minuto seguinte, num contragolpe, Slimani bateu da entrada da área e Neuer pegou firme. Os alemães responderam aos 33, em grande jogada de Müller pela direita, que cruzou para um cabeceio perigoso de Schweinsteiger.

Aos 34, a maior chance do jogo: Khedira cruzou da direita com perfeição, Müller cabeceou e M’Bolhi fez milagre. No rebote, Schurrle chutou em cima da zaga, que cortou em cima da linha. Na cobrança do escanteio, nova salvada da defesa argelina quase sobre a risca. E a pressão era total: aos 36, Müller driblou Belkalem na área e chutou para fora, perdendo ótima chance. Aos 44, Lahm cruzou e Schweinsteiger, livre, cabeceou fraco, para nova defesa do goleiro argelino. Aos 48, na última chance, Halliche salvou após cruzamento da direita.

Edu Andrade/Gazeta Press
Schurrle saiu do banco de reservas para inaugurar o marcador no Rio Grande do Sul: gol que abriu a vitória
A Alemanha finalmente desencantou na prorrogação. Logo a um minuto, Müller invadiu a área pela esquerda e Schurrle deu de letra para fazer 1 a 0. Aberta, a Argélia passou a conceder muitos espaços para a equipe alemã. Aos cinco, Özil recebeu lançamento, invadiu a área, mas foi preciosista e perdeu para Halliche ao tentar o drible em vez de concluir. Aos 8, Müller fintou a marcação na entrada da área e chutou com perigo. A Argélia quase empatou aos 11: Khedira espirrou o taco na área após escanteio e Mostefa bateu torto para fora.

No segundo tempo, as chances de gol foram todas alemãs. A principal ocorreu aos 11 minutos, quando Kramer recebeu na cara do gol e M’Bolhi salvou. Aos 14, não houve jeito: após linha de passe na área argelina, Schurrle chutou e a zaga tirou em cima da linha. No rebote, Özil fuzilou as redes: 2 a 0. No fim, a Argélia fez seu gol de honra, com Djabou, de carrinho, para delírio dos torcedores presentes no Beira-Rio.