Futebol/Copa do Mundo - ( - Atualizado )

Apesar de vexame, Federação Espanhola quer manter Del Bosque

Madri (Espanha)

Jorge Pérez, secretário-geral da Federação Espanhola de Futebol, ressaltou nesta sexta-feira a intenção de manter Vicente Del Bosque como técnico da Espanha, mesmo com a precoce eliminação na segunda rodada da fase de grupos da Copa do Mundo de 2014.

“Quando Del Bosque firmou a renovação de contrato conosco, combinamos que, se por algum motivo quiséssemos que ele fosse embora, ele iria. Mas quero que ele fique. Ele não apresentou sua demissão. Caso o faça, pediremos que siga conosco”, apoiou o dirigente da seleção espanhola em entrevista à rádio Cope.

O vínculo de Vicente Del Bosque com a equipe vai até o final Eurocopa de 2016, na França. Caso continue no posto, o comandante completará oito anos no cargo.

“As críticas não afetam. Sua família pode convencê-lo a sair, mas não vamos encontrar outro como ele. Se temos o melhor, para que trocar? Ainda não conversamos com Del Bosque. É bom dar um pouco de tempo e espaço e esperar para falarmos com calma em Madri”, explicou.

AFP
Vexame na Copa não convenceu a Federação Espanhola a dispensar o técnico Vicente Del Bosque

Del Bosque, de 63 anos, assumiu a Espanha em 2008, logo após a conquista da Eurocopa, substituindo Luis Aragonés. Conduziu o time ao título mais importante de sua história, a Copa do Mundo de 2010, na África do Sul. Na sequência, levou o bicampeonato europeu, em 2012.

Após o título, no entanto, tem convivido com críticas da imprensa espanhola com a decadência da equipe e do estilo de jogo característico da Espanha, o que ficou evidente na Copa das Confederações de 2013, quando perdeu para o Brasil por 3 a 0 na final. Na Copa de 2014, teve uma passagem desastrosa até então: Foi goleada por 5 a 1 pela Holanda e perdeu por 2 a 0 para o Chile, sendo o atual campeão mais precocemente eliminado do Mundial seguinte.