Futebol/Copa 2014 - ( )

Após classificação histórica, Argélia quer repetir zebra de 1982

Sorocaba (SP)

Os atletas que integram a delegação argelina nesta vigésima edição da Copa do Mundo já alcançaram um feito histórico ao classificar a seleção pela primeira vez às fases eliminatórias. A equipe superou as desconfianças e, em um grupo que não era favorita, classificou em segundo lugar, desbancando a Rússia. Confiantes, os atletas agora querem repetir o feito do Mundial de 1982, quando a Argélia venceu a Alemanha por 2 a 1.

Na ocasião, argelinos e alemães se enfrentaram na estreia das equipes na competição, sediada na Espanha, e apesar da vitória no jogo inaugural, os argelinos não conseguiram a classificação, sendo eliminados na primeira fase.

Agora, na quarta participação dos norte-africanos em Mundiais, o objetivo principal, após conseguirem uma classificação inédita a fase de oitavas de final, é enfrentar a Alemanha de forma competitiva na partida eliminatória, marcada para segunda-feira, no Estádio Beira-Rio, às 17 horas (de Brasília).

Uma das referências do elenco no setor ofensivo, o meio-campista Sofiane Feghouli ressaltou a postura confiante dos companheiros de elenco e declarou não temer a Alemanha. “Vamos jogar para vencer. Respeitamos a Alemanha, que é favorita no confronto. Mas merecemos a classificação e vamos honrar nossa camisa”, afirmou o jogador.

Sobre a melhor campanha da história da Argélia em Copas, Feghouli se mostrou orgulhoso de entrar para a história do futebol argelino. “Este é o momento mais feliz da história do nosso futebol. Vamos tentar chegar o mais longe possível para dar mais e mais alegrias aos torcedores”, declarou.

O atacante Islam Slimani, autor do gol do empate com a Rússia, que deu a vaga aos norte-africanos, relativizou a zebra do Mundial de 1982, buscando focar no confronto atual. “Queremos vencer os alemães, como aconteceu em 82. Mas agora é outra oportunidade, outro jogo, não entraremos em campo com um sentimento de vingança”, falou o camisa 13.

AFP
Depois de comemorarem vaga histórica, argelinos confiam em nova vitória contra alemães (Foto:Philippe Desmazes/AFP)