Futebol/Copa 2014 - ( )

Após estreia criticada, Sabella sinaliza Argentina menos cautelosa

Tossiro Neto Rio de Janeiro (SP)

Três zagueiros para enfrentar a Bósnia, estreante em Copas do Mundo? Inconformada com a estratégia tática de Alejandro Sabella para a partida de domingo, a imprensa argentina alvejou o treinador na entrevista após a apertada vitória por 2 a 1, no Maracanã, e lhe questionou se ele fará o mesmo no sábado, diante do Irã, no Mineirão.

Após ouvir a mesma pergunta de diferentes formas - e considerar a possibilidade de ter mesmo escalado mal -, Sabella sinalizou que deve desistir de um dos três defensores (Hugo Campagnaro, Federico Fernández e Ezequiel Garay). No domingo, o escolhido para sair no intervalo foi Campagnaro, que deu lugar ao volante Gago, um dos responsáveis pela melhora de produção na etapa final.

"Fomos cuidadosos no início - depois vimos que precisávamos de mais -, levando em consideração que era nossa primeira partida", tentou se defender. "O primeiro jogo é sempre difícil, do ponto de vista emocional, pela ansiedade. Alguns garotos estão jogando a competição pela primeira vez. Eu também era assistente, agora sou treinador".

Fernando Dantas/Gazeta Press
Treinador argentino foi bastante questionado pela imprensa do país por armar uma equipe muito defensiva
Apesar de a Bósnia estar disputando a competição pela primeira vez na história, o Irã é teoricamente o adversário mais fraco do grupo F, mais uma razão para abdicar de um dos três zagueiros para dar mais ofensividade à equipe. A outra é a análise dos próprios jogadores, que reprovaram a forma com que a seleção foi a campo no primeiro tempo.

"Nós gostamos do sistema com atacantes, porque temos mais possibilidades ofensivas, de fazer passes e marcar gols. Não usamos esse sistema e sofremos um pouco mais durante o primeiro tempo. Estávamos muito recuados, a bola estava com a Bósnia. Deixamos que eles jogassem, e eu estava muito sozinho", reclamou Lionel Messi, nada menos que camisa 10, capitão do time e eleito o melhor jogador no domingo.

Até a partida na capital mineira, a seleção bicampeã mundial tem cinco dias para treinar a formação antiga, com apenas dois zagueiros. Nesta segunda-feira, o primeiro passo é obserar o duelo entre iranianos e nigerianos, em Curtiba, marcado para 16 horas (de Brasília).

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade