Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Bandeira despista sobre reforços e defende "diálogo aberto" com torcida

Rio de Janeiro (RJ)

O primeiro semestre do Flamengo fez o torcedor franzir o cenho. Mesmo com o título estadual, a frustração da eliminação precoce na Libertadores e a zona de rebaixamento no Campeonato Brasileiro fizeram a pressão aumentar sobre a diretoria. Assim, nos bastidores da Gávea o presidente Eduardo Bandeira de Mello está pressionado para buscar reforços no mercado. Ainda assim, ele desconversa ao ser questionado do encontro entre o diretor-executivo Felipe Ximenes e o atacante Eduardo da Silva.

“Não converso com ele (Felipe Ximenes) há uns dois dias. De qualquer maneira, este encontro não quer dizer que haja interesse por parte do Flamengo. Ele (Ximenes) tem uma rede de conhecimento muito grande”, despistou o dirigente em entrevista à Rádio Brasil.

A cobrança por parte da torcida também foi abordada por Bandeira. Para ele, o objetivo durante esta parada no Campeonato Brasileiro é tentar recuperar o time e poupar os jogadores de cobranças. Mas o presidente rubro-negro não descarta o contato com o torcedor. “O importante é que o diálogo esteja aberto. Vários pontos que a torcida defende, eu defendo também. Algumas medidas já foram tomadas e só com muito trabalho vamos conseguir sair desta situação”, acredita.

Os nomes relacionados ao Flamengo nesta janela de transferências são numerosos. O clube chegou a entrar em contato com o atacante Fernandinho, ex-Atlético-MG, mas o negócio ainda não foi para frente. Titular da Seleção Brasileira, o goleiro Júlio César também foi especulado na Gávea, assim como o lateral Milton Casco, do Newell’s Old Boys. Agora a bola da vez é Eduardo da Silva, brasileiro nacionalizado croata que disputa a Copa do Mundo pela seleção dos Bálcãs.

Fernando Azevedo/Fla Imagem
Fla ainda não anunciou reforços nesta janela de transferências; Bandeira prefere não comentar especulações

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade