Futebol/Copa do Mundo 2014 - ( - Atualizado )

Bélgica vence Argélia de virada na estreia, mas fica devendo futebol

Do correspondente Wanderson Lima Belo Horizonte (MG)

A Bélgica passou fácil pelas eliminatórias européias e chegou ao Brasil como a seleção que poderia surpreender na Copa do Mundo, mas logo na estreia a equipe encontrou muitas dificuldades. Os Red Devills tomaram um susto da Argélia e só conseguiram a virada no segundo tempo, vencendo por 2 a 1, em jogo realizado nesta terça-feira, no Mineirão.

O gol da Argélia foi marcado por Feghouli em cobrança de pênalti. Fellaini e Mertens fizeram os gols da virada belga, que mesmo com a vitória ficou devendo futebol. Hazard apareceu bem no lance do segundo gol, mas ficou preso no lado esquerdo do campo, produzindo muito pouco. No lado argelino vale destacar o empenho da equipe que lutou muito em campo.

A torcida da Argélia também deu um show a parte no Mineirão. Antes mesmo do início do jogo, os torcedores já faziam a festa fora do estádio e dentro do Gigante da Pampulha ocuparam a maioria dos lugares, apoiando a seleção africana desde o momento do hino nacional. Alegria argelina contagiou os mineiros que ficaram do lado da Argélia na torcida.

Na sequência da Copa do Mundo, a Bélgica terá pela frente os russos, duelo marcado para o próximo domingo, no estádio Maracanã, no Rio de Janeiro. Já a Argélia vai medir forças contra a Coreia do Sul, confronto também no domingo, só que no estádio Beira Rio, em Porto Alegre.

AFP
Dries Mertens comemora o gol da virada da Bélgica, que garantiu a vitória sobre a Argélia
O jogo – A animação da torcida argelina parece ter contagiado a equipe dentro de campo, já que o time africano iniciou bem a partida, com bom toque de bola e explorando as laterais do campo. Sempre que os belgas tocavam na bola a vaia aparecia no Mineirão, não deixando dúvidas sobre a preferência da maioria do público.

Tocando a bola com qualidade, a Argélia dominou as ações no meio-campo, obrigando os Red Devills a recuar as linhas de marcação. A beira do campo, o técnico Marc Wilmots parecia não acreditar o que via e passou a gesticular com os comandados, pedindo o avanço para o campo ofensivo. A partir dos 15 minutos, os belgas conseguiram equilibrar as ações, mas com pouca objetividade.

A maior parte dos jogadores de ambas as seleções congestionaram o meio-campo, com a bola encontrando dificuldades para chegar até os atacantes. Com este cenário, a partida apresentou poucas conclusões em gol, mas nem por isso deixou de ser um duelo animado, principalmente nas cadeiras do Gigante da Pampulha. Aos 17, Mahrez teve uma boa chance, porém, com a pontaria descalibrada errou o alvo na primeira chance do jogo em favor da Argélia.

A Bélgica conseguiu dar a resposta em um bom chute de fora da área de Witsel, obrigando o goleiro Mbolhi a fazer boa defesa. Aos 23, o Mineirão explodiu em alegria quando Vertonghen derrubou o atacante argelino dentro da área, o árbitro mexicano Marco Rodríguez não titubeou e marcou pênalti. Na cobrança, Feghouli descolou Courtois e abriu o placar levando milhares de argelinos à loucura nas cadeiras do Mineirão.

AFP
Feghouli comemora seu gol de pênalti, que abriu o placar no Mineirão e deixou a Argélia na frente
A Bélgica sentiu o gol dos africanos e apesar de criar algumas jogadas, mostrou muito pouco em termos objetivos. Um dos motivos é a marcação da Argélia, que passou a atuar de forma compactada após o gol, com o a equipe esperando um erro adversário para encaixar o contra-ataque. Com Hazard apagado, Witsel foi quem mais tentou alguma coisa em jogadas individuais, mas com pouco brilho.

Na volta para a etapa final, a Bélgica quase marcou em cobrança de escanteio, que o goleiro Mbolhi saiu errado do gol, mas contou com a sorte da bola bater na cabeça de Witsel e passar sobre o travessão. Depois de 45 minutos apáticos, a seleção européia parece ter acordado no jogo e começou melhoro segundo tempo, mas ainda com dificuldades para furar o bloqueio armado pelo técnico Vahid Halilhodzic.

As jogadas de bola parada e chutes de fora da área foram a principal arma dos Red Devills. Discreto na faixa esquerda de ataque, Hazard tentou alguns lances, mas ficou muito distante do jogador que costuma desequilibrar as partidas do Chelsea, na Inglaterra. Com o passar do tempo, o nervosismo da Bélgica em campo e dos torcedores no Mineirão passou a ficar evidente.

Aos 21, os belgas ainda tiveram uma boa chance com Origi, que saiu na cara do goleiro Mbolhi, que fez a defesa com os pés. No momento mais crítico para a Bélgica, De Bruyne cruzou da esquerda e Fellaini, que tinha acabado de entrar desviou de cabeça, empatando o jogo no Mineirão e renovando as esperança do time europeu.

Com o empate a Bélgica se lançou toda à frente para buscar a virada, que aconteceu aos 34, quando Hazard arrancou em velocidade pela esquerda e deu assistência perfeita para Mertens encher o pé na saída do goleiro argelino virando o marcador no Gigante da Pampulha. Com a vantagem, os belgas controlaram o resultado até fim para comemorar a estreia na Copa do Mundo com vitória.