Futebol Internacional/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Bósnia prepara retranca contra Argentina e marcação dupla em Messi

Do correspondente Tiago Salazar Guarujá (SP)

A seleção da Bósnia e Herzegovina disputará sua primeira Copa do Mundo este ano e logo na estreia terá pela frente nada menos do que a Argentina de Messi, Di Maria, Aguero e companhia.

Mesmo confiantes quanto a chance de classificação à segunda fase do Mundial, os bósnios demonstram respeito para o duelo contra uma das favoritas ao título no Brasil. Uma clara demonstração disso é o discurso do técnico Safet Susic, que já admite mudar o esquema tático da equipe para o provável duelo mais difícil desta primeira fase.

“Provavelmente uma das razões é por causa da Argentina. No meio de campo eles têm muitos jogadores criativos e não ficam muito na defesa. Portanto, colocar dois jogadores (no ataque) não ia ser bom, existe a possibilidade de jogarmos só com um atacante”, comentou Susic.

E como não podia ser diferente, Lionel Messi é a grande preocupação da Bósnia. Por conta disso, o treinador deve povoar seu meio de campo para tentar anular o camisa 10 argentino.

“Ter só um jogador para cuidar de Messi não seria bom para nós. Mas cada vez que Messi receber a bola, precisamos sempre ter alguém perto dele, nunca colocando só um jogador para cuidar do outro, não será assim”, explicou.

Na última segunda-feira, a Bósnia fez um amistoso contra o time Sub-20 do Santos, em Guarujá, com um time misto. Alguns jogadores foram preservados, mas Susic garante que não há qualquer problema para a estreia no torneio, tranquilizando os torcedores principalmente quanto a situação de Dzeko, principal astro da equipe. O atacante do Manchester City, da Inglaterra, apenas assistiu a vitória dos bósnios por 5 a 1 sobre os garotos santistas, no estádio municipal Antônio Fernandes.

“Ninguém está machucado, quatro jogadores foram liberados só para não corrermos riscos. Se amanhã tivesse jogo, todos estariam preparados para jogar”, esclareceu o técnico.

A Bósnia estreia no dia 15 de junho, contra a Argentina, no Maracanã. Depois, encara a Nigéria, no dia 21, na Arena Pantanal, e o Irã, no dia 25, na Fonte Nova.

AFP
“Ter só um jogador para cuidar de Messi não seria bom para nós", sintetizou o precavido Safet Susic

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade