Futebol/Copa do Mundo - ( )

Bósnia treinará em estádio inacabado e com problemas no entorno

Do correspondente Tiago Salazar Guarujá (SP)

O atraso nas obras do estádio Antônio Fernandes, em Guarujá, é o principal problema da Cidade desde o início do ano. Nesta sexta-feira, a seleção da Bósnia e Herzegovina chegou ao Guarujá e já iniciou os trabalhos técnicos na parte da noite. Entretanto, os estreantes na Copa do Mundo se depararam com um estádio ainda inacabado.

Na quinta-feira, uma parte da comitiva europeia foi ao local de treinos, identificou alguns problemas e fez algumas solicitações. Os bósnios pediram para a Prefeitura de Guarujá instalar uma rede atrás de um dos gols para que as bolas não caiam em uma área de mata e querem que todos os dias, antes das atividades, a irrigação do local molhe o gramado que, segundo eles, está muito seco e desnivelado.

“A nossa equipe está trabalhando intensamente em todas as solicitações e tudo o que a seleção tem solicitado foi atendido, e não será diferente agora”, disse a prefeita Maria Antonieta de Brito ao recepcionar a delegação da Bósnia no hotel.

“As solicitações foram ao campo, a irrigação do campo, manter sempre irrigado pois gostam do campo molhado. Em relação a toda a parte do vestiário, a parte da imprensa, foram checar isso e estamos tranquilos porque a nossa equipe está providenciando tudo o que é necessário. Uma tela, uma proteção de tela (atrás do gol), e um carpete para o vestiário, que não havia sido solicitado, agora foi”, garantiu a prefeita.

Para a obra, a cidade trabalhou com duas verbas: uma do DADE (Departamento de Apoio ao Desenvolvimento de Estâncias), de R$ 8 milhões para as obras do estádio e mais R$ 4,5 milhões para o entorno. Também receberam mais R$ 4,5 milhões do Ministério do Esporte para a estrutura das salas de fisioterapia e musculação. Ao todo, foram R$ 17 milhões. Mesmo assim, com a chuva desta sexta-feira e as obras ainda em andamento, o entrono do estádio ficou repleto de lama pouco antes do primeiro treino da seleção.

“Aquela região tem um problema de drenagem e esta é uma obra grande a ser iniciada nos próximos meses. Já começamos a parte de topografia, não é uma pequena intervenção, tudo isso já estamos providenciando”, finalizou Maria Antonieta de Brito.

A Bósnia estreia no dia 15 de junho, contra a Argentina, no Maracanã. Depois, encara a Nigéria, no dia 21, na Arena Pantanal, e o Irã, no dia 25, na Fonte Nova. Antes da Copa, no dia 9, os “Dragões” fazem um amistoso contra o time sub-20 do Santos no estádio Antônio Fernandes, em Guarujá.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade