Futebol/Copa 2014 - ( )

Brasil não disputava uma prorrogação em Copas desde 1998

Belo Horizonte (MG)

Na tarde deste sábado, em um Mineirão lotado, o Brasil superou o Chile nos pênaltis (3x2), após uma igualdade de 1 a 1 nos 120 minutos de bola rolando, e garantiu vaga nas oitavas de final da Copa do Mundo. O sofrimento por causa das penalidades máximas não era vivido pelo torcedor canarinho desde a edição de 1998, realizada na França.

Em domínio dos Bleus, o Brasil terminou a primeira fase como líder do Grupo A, mas apresentando dificuldades. Após uma sofrida vitória sobre a Escócia na estreia, pelo placar de 2 a 1, a Seleção despachou o Marrocos (3 a 0), mas se despediu do estágio de chaves com uma derrota de virada para a Noruega – segunda classificada –, pelo placar de 2 a 1.

Curiosamente, o primeiro adversário dos comandados de Zagallo no mata-mata foi o Chile. Diferente de 2014, La Roja foi uma presa fácil e acabou goleada por 4 a 1. Em Nantes, nas quartas de final, um 3 a 2 sobre a Dinamarca rendeu ao escrete canarinho uma vaga nas semifinais, diante da Holanda.

Acervo/Gazeta Press
Ronaldo venceu o goleiro Van der Sar no primeiro tempo e na disputa de pênaltis: atuação fenomenal
No Velódrome, o Brasil inaugurou o placar com gol de Ronaldo, mas viu a Laranja Mecânica, com Kluivert, anotar o gol de empate. Nas penalidades máximas, a Seleção foi perfeita. Além do Fenômeno, foram às redes Rivaldo, Émerson e Dunga. Cocu e Ronald de Boer despediçaram as chances para a representação dos Países Baixos.

Quase 16 anos mais tarde, coube a David Luiz, Marcelo e Neymar a frieza de converter os pênaltis classificatórios sobre o Chile, causando as lágrimas de quem não estamos acostumados a ver chorar, como o técnico Luiz Felipe Scolari. Resta agora saber se o destino deste elenco será diferente da campanha trilhada na França.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
O goleiro Júlio César brilhou e foi o herói da classificação brasileira em BH, com dois pênaltis defendidos