Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Candidatos podem se unir contra Eurico Miranda nas eleições

Gazeta Press Rio de Janeiro (RJ)

A eleição do Vasco, marcada para dia 6 de agosto, caminha para uma tranquila vitória de Eurico Miranda, principal nome da oposição e que vem liderando as pesquisas informais. Porém, outros nomes que estão concorrendo no pleito já estudam uma união com o objetivo de fazer frente ao nome do ex-presidente, que já tem a sua base consolidada.

O candidato Tadeu Correia da Silva, da chapa "Vasco passado a limpo" está liderando o movimento de união contra a candidatura de Eurico, porém seus esforços não estão sendo compensados. Isso porque na primeira reunião que marcou já recebeu a negativa por parte de Nelson Rocha, do "Vira Vasco", que declinou do convite por ter rivalidade com outros presentes.

Roberto Monteiro, vice-presidente do Conselho Deliberativo e candidato da Identidade Vascaína, e Eduardo Machado, ex-vice de marketing, do Pró-Vasco, compareceram, mas se mostraram descrentes com a possibilidade de uma união. Leonardo Gonçalves, da Cruzada Vascaína, não compareceu alegando problemas pessoais, mas enviou um representante.

O grupo discutiu a possibilidade de uma candidatura única, reunindo as três chapas, além da possibilidade de uma aproximação com a Chapa Azul, de Otávio Gomes, e a Vanguarda Vascaína, de Márcio Santos.

Na verdade, tirando Eurico, os nomes de oposição ficaram perdidos após o empresário Fernando Horta, presidente da Unidos da Tijuca, ter desistido de concorrer ao pleito. Ele vinha sendo tratado como único nome capaz de derrotar Eurico Miranda, mas alegou problemas profissionais, pois viaja constantemente para Portugal a fim de tratar de assuntos referentes à sua vinícola.

Apesar de não estar no pleito, Fernando Horta vem mantendo reunião com outros vascaínos ilustres, como Jorge Salgado, Olavo Monteiro de Carvalho, Carlos Osório e o ex-presidente Antônio Soares Calçada. A ideia seria lançar um representante com apoio de peso para concorrer a eleição. Porém, a possibilidade é vista com pessimismo pelos oposicionistas, que consideram não existir mais tempo suficiente para trabalhar um nome.

Neste cenário, o presidente Roberto Dinamite se mostra neutro. Embora não fale abertamente, sua maior simpatia é pelo nome de Tadeu Correia da Silva, mas o ex-jogador, cansado das críticas, optou por não se manifestar e não lançar candidatura. Roberto sequer cogitou a possibilidade de tentar um novo mandato, mesmo tendo direito a concorrer.

Marcelo Sadio/Divulgação/Vasco da Gama
Frente às pressões, mesmo tendo o direito, Dinamite deve abdicar da reeleição no segundo semestre

Alheio ao assunto, o técnico Adilson Batista comandou mais um treino na manhã desta quarta-feira no Estádio Eustáquio Marque, na Zona Norte do Rio de Janeiro. O treinador dividiu o elenco em quatro grupos e comandou mini coletivos, com a ajuda do auxiliar e ex-zagueiro Jorge Luiz.

O Vasco volta a jogar pela Série B do Campeonato Brasileiro no dia 15 de julho, diante do Santa Cruz, em local a ser definido pelos dirigentes vascaínos. São Januário, naquela data, ainda estará sob a tutela da FIFA por conta da Copa do Mundo. Atualmente o Cruz-Maltino é apenas o décimo colocado na Segundona com 14 pontos conquistados e um jogo a menos que a maioria dos seus concorrentes diretos.