Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Capitão e melhor do jogo, Messi desaprova desenho tático inicial

Tossiro Neto, enviado especial Rio de Janeiro (RJ)

Se Alejandro Sabella não quis reconhecer com todas as palavras que escalou mal a seleção argentina, neste domingo, seu principal jogador falou pelo treinador. Eleito o melhor jogador da vitória por 2 a 1 sobre a Bósnia e Herzegovina, no Maracanã, Lionel Messi desaprovou a inicial formação com três zagueiros, abandonada somente no intervalo, após vitória parcial garantida graças a um gol a contra.

"Nós gostamos do sistema com atacantes, porque temos mais possibilidades ofensivas, de fazer passes e marcar gols. Não usamos esse sistema e sofremos um pouco mais durante o primeiro tempo. Estávamos muito recuados, a bola estava com a Bósnia. Deixamos que eles jogassem, e eu estava muito sozinho", reclamou o jogador, que é camisa 10 e capitão do time.

Outros dois titulares também se mostraram contrários ao cauteloso desenho tático que Sabella armou para a estreia na Copa do Mundo. "Ficou difícil, porque eu tinha que cair na frente dos zagueiros, e não podia voltar porque prejudicaria o trabalho do Leo (Messi). No segundo tempo, o treinador mudou o esquema, o que nos ajudou", opinou o atacante Aguero.

A mudança consistiu em sacar o zagueiro Campagnaro e o meia Maxi Rodríguez para colocar o volante Gago e o atacante Higuaín. Feitas as alterações, a Argentina cresceu de produção e ampliou a vantagem, com um golaço de Messi. Nos minutos finais, Ibisevic descontou, mas não houve tempo para a Bósnia alcançar o empate.

"Como começamos a segunda parte é como jogamos quase sempre e nos conhecemos bastante. Sabemos como joga cada um, os movimentos que fazemos. Com o time da etapa final, nota-se a diferença", acrescentou Aguero, cuja opinião foi endossada ainda pelo volante Mascherano, o qual, antes do intervalo, sofria sozinho para, ao mesmo tempo, marcar e sair jogando.

"Sobrava um atrás e um na frente para a gente. Estávamos em inferioridade, não conseguíamos criar. No segundo tempo, jogamos com o sistema com que estamos mais acostumados. O Leo encontrou a bola onde é forte e, com dois pontas agudos, criamos as situações", analisou Mascherano, também mais direto do que o próprio chefe.

Apesar das críticas ao sistema, todos os argentinos concordaram que, para a partida de estreia, o resultado foi satisfatório, tendo em que conta que o objetivo era vencer. "Temos pontos a melhor, mas não é fácil jogar a primeira partida de uma Copa do Mundo, pela ansiedade, pelo nervosismo. O importante foi o resultado", concluiu o verdadeiro dono da equipe, Lionel Messi.

AFP
Lionel Messi discordou de desenho tático inicial da seleção argentina (Foto:GABRIEL BOUYS)

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade