Futebol/Copa do Mundo - ( )

Ídolo mexicano, Chicharito se diz honrado por treinar no CT Rei Pelé

Do correspondente Tiago Salazar Santos (SP)

Javier Hernández, ou Chicharito, como é conhecido, é a grande estrela da seleção mexicana. O atacante de 26 anos que atua pelo poderoso Manchester United, da Inglaterra, chega para sua segunda Copa do Mundo mais experiente e, de certa forma, surpreso pela recepção calorosa dos torcedores, em Santos, cidade da Baixada Santista no qual sua seleção está hospedada.

“Incrível. Particularmente, não esperava seremos recebidas por tanta gente alegre e bonita nos dando apoio e torcendo por nós”, disse o jogador, que até agora gostou do que viu no país pentacampeão. “As impressões que tínhamos, acompanhando pela TV, sempre foram muito boas. E podemos comprovar essas expectativa aqui”, afirmou.

No treino deste sábado, cerca de 500 torcedores puderam assistir a primeira atividade mexicana em Santos. E durante a atividade, o nome de Chicharito foi gritado incansavelmente pela grande maioria.

“Muito feliz, mas os torcedores querem ver a todos, vieram nos apoiar e estamos muito felizes”, comentou o atacante, tentando mostrar humildade e enaltecendo o grupo. “Agradeço muito por isso, muito feliz, mas eu me sinto um a mais aqui, somos um grupo de 23 jogadores que viemos preparados para enfrentar Croácia, Brasil e Camarões”.

Gazeta Press
Chicharito ficou surpreso com a recepção calorosa dos brasileiros (Foto: Tiago Salazar)
Além do apoio da torcida, Chicharito se mostrou lisonjeado por treinar no CT Rei Pelé, local mítico pela história de Pelé e, mais recentemente, de Neymar.

“Muito bonito e motivador por saber de sua história e da importância que Pelé tem para o Brasil. Estar aqui, onde foi praticamente toda sua casa no futebol, é uma experiência única”, explicou.

Ao ser questionado sobre os adversários da primeira fase: Camarões, Brasil e Croácia, Chicharito admitiu que será uma tarefa difícil conseguir a classificação, mas garante não temer nenhuma seleção e se mostra tranquilo.

“Muito difíceis, mas vamos tratar de ganhar os três (jogos). Independente de pressão, a equipe deve manter essa alegria, além de trabalhar. Há seriedade, mas podemos colocar e alegria e é o que queremos implementar aqui”, concluiu.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade