Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Classificação inédita não diminui clima tenso na Argélia

Do correspondente Luiz Felipe Fagundes Curitiba (PR)

Uma classificação histórica na Copa do Mundo, inédita, que repara uma injustiça de 32 anos. Ainda assim, o clima de tensão segue firme e forte na Argélia. As fortes críticas da imprensa local ao treinador, a divisão entre franceses e argelinos, e até mesmo religião, tudo é motivo para irritação e ela apareceu após o empate com a Rússia, que garantiu a vaga em Curitiba.

O técnico Vahid Halilhodzic não deixou o atacante Slimani responder uma pergunta sobre o Ramadã, o jejum sagrado dos muçulmanos que atingirá o grupo exatamente na preparação para as oitavas de final diante da Alemanha. O treinador fez um gesto para o atleta se calar e respondeu aos jornalistas bem a seu estilo. "Essa pergunta não tem resposta. Nós falamos de esporte, apenas assuntos de esporte", afirmou.

Na passagem pela zona mista, Halilhodzic teve a sua frente a imprensa de seu país e, como tem acontecido, ignorou a todos solenemente, provocando uma correria dos que ainda tentavam pegar uma palavra do treinador.

A tensão ainda atingiu parte do elenco, que segue sem dar entrevistas fora das exigidas pela Fifa. Ainda durante a zona mista, alguns atletas discutiram com jornalistas, pedindo respeito a sua pátria e a seus costumes, em uma clara alusão à questão do Ramadã e ao grande números de franceses. São 16 no elenco.

AFP
Enquanto que a Argélia comemora, atletas das raposas do deserto discutiram com jornalistas em Curitiba-PR