Futebol/Copa do Mundo - ( - Atualizado )

Com dança de Armero, Colômbia enlouquece Mineirão e bate Grécia

Do correspondente Wanderson Lima Belo Horizonte (MG)

Belo Horizonte virou um pedacinho da Colômbia neste sábado. Uma invasão de torcedores do país sul-americano aconteceu no Mineirão para ver a seleção Cafetera em duelo bastante movimentado contra a Grécia. Em campo, os colombianos logo abriram o placar, mas a tranquilidade esperada com o gol não aconteceu. A Grécia buscou o empate, mas não conseguiu furar o bloqueio da Colômbia, que voltou a marcar na etapa final, 3 a 0, na estreia da Copa do Mundo.

O primeiro gol do jogo foi anotado logo aos cinco minutos pelo ex-palmeirense Pablo Armero, que aproveitou ótima jogada de Cuadrado e fuzilou o goleiro Karnezis. Na comemoração, o lateral esquerdo recusou os primeiros abraços para servir de maestro e comandar uma dança com os colegas, animando o público.

Na etapa final, Gutierrez e Rodriguez ainda ampliaram a contagem. Com a vitória, a Colômbia larga na frente no Grupo C, somando três pontos, e acompanha de camarote o jogo de logo mais entre Japão e Costa do Marfim.

Na sequência da Copa do Mundo, a Colômbia terá compromisso contra a Costa do Marfim, jogo marcado para o próximo dia 19, no estádio Mané Garrincha, em Brasília. No mesmo dia, a Grécia vai medir forças contra o Japão, duelo confirmado para a Arena das Dunas, em Natal.

O jogo – Contando com apoio em massa da torcida, a Colômbia iniciou a partida pressionando os gregos, que apostaram nas jogadas de contra-ataque. Como os colombianos encontraram uma linha defensiva bastante fechada, passaram a tocar a bola para encontrar os espaços necessários, o que não demorou a acontecer.

AFP
Gol de Armero no primeiro tempo iniciou festa colombiana no Mineirão; Time venceu a Grécia por 3 a 0

Aos cinco minutos, Armero enlouqueceu a torcida Cafetera. Cuadrado foi à linha de fundo e cruzou com perfeição, contando ainda com um belo corta luz antes de Armero fuzilar Karnezis, abrindo os trabalhos no Gigante da Pampulha. O gol deu dinamismo ao jogo já que forçou os gregos a abandonarem a postura defensiva para tentar o ataque.

Com isso, os sul-americanos passaram a explorar bastante a faixa direita ofensiva, principalmente com Cuadrado, que sempre que tocava na bola levantava a torcida amarela, que coloriu o Mineirão. Tradicionalmente a Colômbia é uma escola de habilidade, e foi exatamente isso o que se viu em vários momentos da partida, com os atletas tentando a jogada individual.

Taticamente, o técnico argentino José Pékerman conseguiu armar bem o time, com um posicionamento interessante, que obrigava a seleção da Europa a tentar arremates de média e longa distância, na maioria com pouco perigo. Dessa forma, os colombianos controlaram bem o jogo, sabendo o que fazer com a bola nos pés.

A melhor chance criada pela Grécia só apareceu aos 27, quando Cholevas cobrou falta e Torosidis desviou de cabeça, com a bola passando muito perto da trave direita de Ospina. A partir deste momento, o técnico português Fernando Santos passou a cobrar uma postura mais ofensiva dos gregos. Percebendo o crescimento dos adversários, a torcida que ficou em silêncio por alguns minutos voltou a jogar junto com o time.

AFP
Colombiano Teófilo Gutierrez ampliou o placar para seu time em estreia

O domínio de ações dos sul-americanos se transformou em equilibrio no fim do primeiro tempo, preocupando os milhares de colombianos no Mineirão e dando esperanças para minoria grega. Aos 45, Kone, jogador mais perigoso da Grécia, acertou ótimo chute da entrada da área e fez Ospina se esticar todo para evitar o empate.

Na volta para a etapa final, a Grécia seguiu agressiva, mas encontrou uma Colômbia ligada e disposta a não ceder o empate. As trocas de passe em velocidade que foram vistas no começo da partida voltaram a acontecer com mais frequência gerando boas possibilidades de gol.

Aos 12, após escanteio da direita, a bola sobrou livre para Gutierrez só escorar para as redes, ampliando a vantagem Cafetera e transformando o Mineirão em um verdadeiro caldeirão amarelo. Aos 17, a Grécia tentou dar a resposta com cabeçada de Gekas, que explodiu no travessão de Ospina em um bom momento dos gregos, que buscam a reação.

Após os 25 minutos, o fôlego da Grécia terminou, e a Colômbia passou a ter as rédeas do confronto, com direito, inclusive, a olé da torcida, que promete ser uma das mais animadas desta Copa do Mundo. Com o placar bem favorável, os sul-americanos diminuíram o ritmo e administram a vitória, mas nos acréscimos ainda teve tempo de Rodriguez fechar o placar para a alegria de mais de 57 mil pessoas que foram ao Gigante da Pampulha.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade