Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Com história parecida, Júlio César revela elogio até do filho a Ochoa

Tossiro Neto, enviado especial Teresópolis (RJ)

Não é preciso entender muito de Copa do Mundo para saber que Guillermo Ochoa mereceu ter sido eleito o melhor jogador do empate por 0 a 0 entre Brasil e México, na terça-feira. Por suas defesas importantes na partida disputada em Fortaleza, ele foi elogiado até mesmo pelo garoto Cauet, de 11 anos, filho do goleiro adversário, Júlio César.

"Ele está entendendo mais. Em 2010, não entendia tanto. Agora, está em êxtase por tudo aquilo que está vivenciando. A primeira coisa que me disse depois do último jogo foi 'pai, parabéns pela partida, você fez duas defesas bacanas, mas aquele goleiro do México poderia ter deixado passar uma, filho da mãe...'. Foi o que ele falou", contou o brasileiro, rindo.

Atualmente sem clube, Ochoa passa por drama semelhante ao que viveu no ano passado Júlio César, que perdeu a posição e ficou seis meses encostado no Queens Park Rangers, da Inglaterra, à procura de uma equipe em que pudesse jogar. A solução foi se transferir para o canadense Toronto FC, que disputa a tecnicamente fraca liga americana MLS (Major League Soccer). Solução questionada por muitos, às vésperas da disputa da Copa do Mundo.

"Vai muito do profissional com que você trabalha no clube. Às vezes, você não agrada a todos. Tive problema com meu treinador, que preferiu jogar contra outro goleiro. Respeitei a preferência dele. Com o Ochoa, é a mesma coisa. Mas, se fizer uma boa preparação e estiver focado, isso interfere pouco. O Ochoa é um grande exemplo. Se o jogo terminou 0 a 0, todo o mundo sabe que se deve muito à participação dele", avaliou Júlio César.

Esse é o terceiro Mundial do qual Ochoa participa, o primeiro como titular. O goleiro mexicano defendia o Ajaccio desde 2011, mas não seguirá mais na equipe francesa, rebaixada para a próxima temporada. Após as boas atuações nos dois primeiros jogos, tem chamado atenção internacionalmente e já começa a ser especulado em grandes clubes europeus. Para Júlio César, o começo de torneio também tem sido bom, já que teve atuações seguras e fez boas defesas diante de Croácia e México.

"Isso foi importante devido a aquilo tudo que foi falado antes da Copa do Mundo. Não estou querendo responder a ninguém, deixo bem claro, mas existem muitos pontos de interrogação ao meu trabalho ainda. Tenho que acreditar em mim, trabalhar, que as coisas vão acontecer naturalmente. Alguns críticos começaram a eliminar aquele ponto de interrogação. Para mim, também é importante, porque joguei muito pouco na temporada passada, e o ritmo de jogo faz falta", falou o camisa 12.

"Eu me preparei muito para essa Copa do Mundo, independentemente de muitos críticos não terem sido de acordo com a escolha que fiz de ter ido jogar em uma liga tecnicamente um pouco mais fraca. Mas acho que o mais importante foi eu me olhar no espelho, acreditar em mim, trabalhar", completou o homem de confiança do técnico Luiz Felipe Scolari e do filho Cauet.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Júlio César viu o filho elogiar a atuação de Ochoa, goleiro do México na partida contra o Brasil