Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Com um só gol, volante ouve de Felipão: "Não precisa de mais"

Tossiro Neto Teresópolis (RJ)

Em 19 jogos disputados pela Seleção Brasileira, Luiz Gustavo balançou a rede uma só vez, quando marcou contra a Austrália, no ano passado. Se depender do técnico Luiz Felipe Scolari, o belo gol será também o último do camisa 17, para o qual determina como a marcação como exclusiva obrigação.

"Ele sempre deixa bem claro qual é a minha função, o que ele deseja que eu faça dentro de campo, que é na parte defensiva", disse o titular, nesta terça-feira, a dois dias da partida de estreia na Copa do Mundo, diante da Croácia.

A preocupação defensiva de Felipão é tanta que, ao final da goleada sobre a Austrália, em amistoso disputado em julho do ano passado, quase repreendeu Luiz Gustavo pelo chute da meia esquerda que originou no gol. "Foi engraçado. Quando cheguei ao vestiário, ele me disse: 'Está bom, não precisa de mais, não quero isso'. Ele deixa isso bem claro, me ajuda, e eu sei o que tenho que fazer", contou, nesta terça-feira.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Tímido, volante sorriu quando lembrou do que o treinador lhe disse depois do gol contra a Austrália
Às vésperas do primeiro jogo do Mundial, Luiz Gustavo sabe quem tem que anular na quinta-feira, em São Paulo. "A Croácia é uma equipe de muita qualidade. Tenho dois companheiros de clube que jogam lá. Eles têm o Modric, que foi campeão da Champions League pelo Real Madrid, e outros jogadores que conheço de enfrentar. Em Copa do Mundo, não tem adversário fácil. Todos os jogos serão difíceis", prevê o jogador do Wolfsburg, onde atua ao lado do meia Ivan Perisic e do atacante Ivica Olic.

Olic, por sinal, causou algum desconforto nos brasileiros ao dizer, na segunda-feira, que havia notado alguns espaços defensivos no time verde-amarelo em seus últimos jogos. Questionado sobre o comentário, Luiz Gustavo foi sucinto para evitar polêmica com o colega e rival.

"Temos praticamente a melhor zaga do mundo, com o David (Luiz) e o Thiago Silva. Acredito que estamos bem servidos", avaliou o marcador brasileiro.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade