Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Curitiba vira ‘pequena Quito’ e Equador bate Honduras e segue vivo

Do correspondente Luiz Felipe Fagundes Curitiba (PR)

Sentindo-se totalmente em casa, o Equador se reabilitou na Copa do Mundo 2014 e venceu Honduras por 2 a 1, na Arena da Baixada, em Curitiba, mantendo viva a chance de classificação para a próxima fase e deixando o adversário apenas com chances matemáticas de seguir. Com as arquibancadas coloridas de amarelo e azul, alguns poderiam até confundir o país, mas, nesta sexta-feira, não era dia de Brasil.

Em maior número, os equatorianos começaram a festa cedo pelas ruas de Curitiba e não fizeram diferente dentro do estádio, transformando as arquibancadas em uma pequena Quito, com muita disposição para cantar. “Sí, se puede’ eram as palavras de quem mantinha a esperança mesmo com a derrota na estreia para a Suíça. O time retribuiu fazendo o aquecimento bem pertinho e interagindo.

A onda azul e branca também não decepcionou, com hondurenhos empolgados, tentando compensar o menor número com muitos gritos e bandeiras tremulando, seja na esplanada em frente à Baixada, sejam espalhados pelas arquibancadas em diferentes pontos. Mas nada parecido com os sul-americanos.

Horas antes da partida, já chamava a atenção também uma mudança na postura da polícia militar, que fechava o perímetro em volta da Arena. Mesmo quem estava com credencial era parado para conferir foto e o que iria fazer na área. Desta vez, apenas torcedores com ingresso nas mãos e moradores cadastrados conseguiam passar pelo pente fino, salvo rara exceções. Tudo pelo medo de invasão.

AFP
O atacante Enner Valencia marcou dois gols e garantiu a virada do Equador nesta sexta, na Arena da Baixada
Com a bola rolando, a festa virou tensão aos 29 minutos, quando Guagua falhou e Costly aproveitou para estufar as redes e abrir o placar para os hondurenhos. A resposta, no entanto, foi rápida, e aos 33 minutos, Enner Valencia aproveitou chute cruzado de Caicedo para completar para as redes. Na segunda etapa, aos 19 minutos, mais uma vez Valencia, de cabeça, decretou a virada.

Honduras fecha sua participação na primeira fase na quarta-feira, diante da Suíça, às 17 horas, na Arena Amazonas, em Manaus. Já o Equador terá pela frente a França, no mesmo dia e horário, no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro.

O jogo – Empurrado pelo torcedor, o Equador tentou seu primeiro ataque logo no primeiro minuto, com levantamento na área para cabeçada fraca de Caicedo. Os sul-americanos apertavam e aos quatro minutos, Montero recebeu pela lateral e cruzou rasteiro para a saída estranha de Valladares, nos pés de Caicedo. Na resposta, aos cinco minutos, Garcia, de fora da área, arriscou o chute nas mãos de Dominguez.

Muita correria em campo, mas também muitos passes errados, contribuindo para a falta de oportunidades claras. Aos 14 minutos, Costley foi travado na área e ficou no chão pedindo pênalti. O árbitro mandou seguir. A equipe hondurenha equilibrou as ações, mas tinha dificuldades no último passe. No entanto, quem teve a melhor chance, aos 19 minutos, foi Enner Valencia, de frente para o gol. O chute colocado foi para fora.

Honduras marcava forte e tentava explorar os contra ataques. Aos 26 minutos, Espinoza arriscou o chute, foi travado e ganhou escanteio. Após a cobrança, Bernardez, de peixinho, colocou pela linha de fundo. Até que, aos 29 minutos, Costly aproveitou falha de Guagua e da entrada da área fuzilou para abrir o placar e marcar o primeiro gol da Copa na Arena da Baixada. A reposta foi imediata. Aos 33 minutos, Caicedo chutou cruzado, ninguém afastou e Enner Valencia se esticou para empatar.

AFP
Ainda no primeiro tempo, Costly marcou o gol de Honduras, evitando um recorde negativo para sua seleção
Honduras parava os ataques equatorianos do jeito que dava, geralmente com falta, irritando o adversário. Aos 40 minutos, Ayovi cobrou falta fechada na área e a defesa afastou para escanteio. Aos 45 minutos, Bernardez cobrou falta com força e obrigou Dominguez a trabalhar. Polêmica aos 47 minutos. Costly cabeceou na trave, e no rebote, Bengston empurrou para as redes. O assistente começou a corrida, mas o árbitro anulou o lance.

Para a etapa final, Honduras voltou com Garcia no lugar de Izaguirre. Logo no primeiro minuto, Beckles arriscou o chute e Dominguez foi buscar bonito. O jogo seguia o panorama do primeiro tempo, com muita disputa e passes errados. Aos cinco minutos. Noboa arriscou de longe, sem perigo. Mais polêmica, aos 11 minutos, com Caicedo desequilibrado na área, pedindo pênalti sem ser atendido.

Sem conseguir penetrar na defesa equatoriana, Bengston, aos 13 minutos, chutou da entrada da área, no cantinho, para defesa de Dominguez. A torcida não parava de empurrar os sul-americanos, acreditando na vitória. E explodiu de vez, aos quando Eyovi cobrou falta, aos 19 minutos, e Enner Valencia, mais uma vez ele, subiu na área e testou para o fundo das redes.

Os hondurenhos tentavam reagir, mas quem apertou a marcação foi o Equador, buscando uma bola para matar o jogo. Aos 29 minutos, Espinoza tentou mais um chute de longe, sem perigo. Aos 39 minutos, Valencia cobrou falta, no meio do gol, fácil para Valladares. A partir daí foi só administrar. Para festa de milhares de equatorianos, o apito final logo confirmou os três pontos.