Futebol/Copa do Mundo 2014 - ( )

Del Bosque tenta explicar declarações e ainda garante o grupo unido

Do correspondente Luiz Felipe Fagundes Curitiba (PR)

Se as duas derrotas que eliminaram a Espanha da Copa do Mundo 2014 já tornaram o clima azedo dentro do grupo e na relação com a imprensa espanhola, a manhã deste domingo na capital paranaense só piorou ainda mais a situação. Antes do treino fechado no CT do Caju, Del Bosque concedeu uma entrevista exclusiva ao Deportes Cuatro e deu uma declaração que, tirada do contexto, se tornou forte, uma bomba no país. ‘Eu penso em todos, mas os jogadores pensam neles’, disse o ‘Míster’.

A polêmica começou no domingo, quando em um simples coletivo, uma das equipes, com um jogador a mais, estava mais forte. Para equilibrar, Del Bosque pediu para Fábregas tirar o colete e deixar a atividade, o que causou irritação ao meia, que havia acabado de marcar um gol. Nada ríspido, mas que captado pelas lentes das câmeras tomou outra proporção.

O treinador tentou minimizar e explicar o que realmente aconteceu. “É claro que foi uma coisa de treino. A maioria dos jogadores eram ofensivos, atacantes, e a equipe que ele jogava durante o treino teve algumas dificuldades e por isso resolvi trazer o Xabi, e ele queria continuar jogando. Uma situação de dois segundos. Não precisamos criar grandes dramas em torno disso. Já conversamos e esclarecemos tudo. Gostaria de dizer que o técnico precisa pensar na equipe, em todo mundo. E os jogadores pensam em si. E isso é normal”, disse.

AFP
Futuro do técnico Vicente Del Bosque no comando da seleção espanhola ainda é incerto
O problema com Fábregas, no entanto, não foi o único. Declarações de Xabi Alonso sobre a falta de ‘fome’ do time em campo, e um racha entre espanhóis e catalães deixou o clima claramente tenso. A escolha de Curitiba, um local mais frio e alto do que as sedes das primeiras partidas, também não foi unanimidade e teria causado desconforto.

Ainda assim, Del Bosque garante que o ambiente segue bom e assim será até o embarque para a a Espanha, logo após a partida de despedida, nesta segunda, na Arena da Baixada. “É uma experiência extraordinária estar presente em outro Mundial, mas ficou um gosto amargo de não ter atendido às expectativas. Nossa convivência aqui não foi totalmente perfeita, mas tivemos um desempenho bom. Somos amigos e na derrota sentimos a união. Espero que possamos fazer um bom jogo”, concluiu.