Futebol/Copa do Mundo - ( - Atualizado )

Desinformação transforma treino da Espanha em barril de pólvora

Do correspondente Luiz Felipe Fagundes Curitiba (PR)

Um barril de pólvora prestes a explodir. Assim é o clima do lado de fora do CT do Caju duas horas antes do treino da Espanha, que será aberto ao público. Apenas quem possuir ingresso entrará para acompanhar os trabalhos, mas a desinformação transformou o clima tranquilo do bairro do Umbará em território pronto para explodir.

A princípio, cerca de mil convidados, capacidade do mini-estádio do centro de treinamentos, entrariam. Durante o dia, no entanto, o número caiu para 300, sendo que todas as entradas já teriam sido distribuídas por COL, Secopa, Fifa e Federação Espanhola. As partes, no entanto, não tinham a informação correta sobre números e critérios de distribuição.

Às 13h30 (de Brasília), cerca de 500 pessoas faziam fila com a esperança de encontrar os jogadores espanhóis. A Polícia Militar, no entanto, insistia que ninguém entraria, pois não haveria distribuição de ingressos, diferentemente da informação inicial, aumentando a confusão.

A revolta rapidamente se virou contra a imprensa, acusada de divulgar que o treino seria aberto para quem chegasse no horário. A própria polícia, através do Major Neto, confirmava que o esquema montado, de 250 homens, era apenas para evitar uma possível invasão, mas que a expectativa era de tranquilidade. Rapidamente, porém, contingente aumento com a chegada da Guarda Municipal, Exército e Setran, a Secretaria de Transito, que fechou as ruas no entorno.

Até o fechamento da matéria, nenhuma definição sobre as pessoas do lado de fora, que só aumentavam, estava tomada. Os convidados, que conseguiram o ingresso, ainda não haviam chegado, o que deve aumentar o clima de tensão. A PM cercou jornalistas e a entrada do CT do Caju. A expectativa é que um pequeno grupo seja liberado a entrar, mesmo sem o convite.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade