Futebol/Copa do Mundo - ( - Atualizado )

Eficiência do ataque equatoriano é decisiva em jogo equilibrado

João Victor Miranda, especial para a GE.net Curitiba (PR)

Apesar das baixas expectativas, Honduras e Equador fizeram um jogo interessante na noite desta sexta-feira, com várias chances de gol e marcado pelo equilíbrio entre as seleções. O fator decisivo para o triunfo equatoriano foi a eficiência de seu ataque e de seu goleador, Enner Valencia, que chegou a três gols na Copa do Mundo.

Sul-Americanos dominam primeiro tempo - Os dois tempos da partida foram completamente distintos. Nos primeiros 45 minutos, o Equador teve 62% de posse de bola, contra 38% dos hondurenhos.

Apesar dos números tão contrastantes, a seleção de Honduras saiu na frente e os equatorianos só conseguiram levar para o intervalo um empate.

Hondurenhos retornam melhores - A partir do segundo tempo, quem passou a tocar mais a bola foi a equipe de Honduras, que teve 63% da posse nos 45 minutos finais, contra 37% dos adversários.

Assim como no primeiro tempo, quem dominou não fez mais gols, e o Equador fez o tento solitário da etapa final, virando e vencendo a partida.

AFP
Após cruzamento de Walter Ayoví, Enner Valencia cabeceou para as redes e fez o segundo gol. (Foto: Gabriel Bouys).
Aproveitamento nas finalizações como diferencial - Se na posse de bola as equipes foram praticamente iguais na somatória da partida, no número de chutes Honduras foi bastante superior. Com 17 finalizações contra 10 dos equatorianos, os hondurenhos demonstraram mais objetividade.

Faltou aliar eficiência a esta objetividade. Enquanto os sul-americanos mandaram para as redes 50% dos chutes na direção do gol (2/4), os hondurenhos chutaram cinco vezes em direção à meta adversária e fizeram apenas um gol: aproveitamento de apenas 20%.

Individualmente, Enner Valencia chutou apenas quatro vezes, três de dentro da área. Foram dois gols. Carlos Costly precisou de três chances para colocar uma bola para dentro do lado de Honduras.