Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Em encontro com Blatter, Dilma ergue a taça e vê o Brasil preparado

Brasília (DF)

A presidenta Dilma Rousseff teve o privilégio de erguer o troféu da Copa do Mundo nesta segunda-feira, durante um encontro com o suíço Joseph Blatter, mandatário da Fifa, no Palácio do Planalto. Com a ajuda do ex-jogador Cafu, ela levantou o troféu e bateu três vezes na madeira – gesto para afastar o azar.

As preocupações de Dilma, no entanto, não se resumem à preparação da Seleção Brasileira para o torneio. “Estamos preparados para oferecer ao mundo um espetáculo maravilhoso, com a alegria, o respeito e a gentileza característicos do nosso povo. Sabemos que estamos prontos, que os estádios estão prontos. Os torcedores que já os conheceram sabem que são modernos, confortáveis e seguros”, discursou.

Em relação à possibilidade de protestos durante a Copa, Dilma voltou a ressaltar que o Brasil é “democrático” e “respeita a liberdade de manifestação”. Por outro lado, garantiu que haverá segurança para turistas estrangeiros e brasileiros. “Somos capazes de preservar os direitos da maioria que quer assistir aos jogos”, declarou.

Gazeta Press
Dilma se divertiu ao levantar a taça da Copa do Mundo ao lado de Cafu (foto: Beto Nociti)
Aparentemente satisfeito com as palavras de Dilma, Blatter se esforçou para falar em português. O presidente da Fifa deixou de lado a desconfiança de outros tempos para se mostrar “muito animado com as próximas semanas”. “Juntos, vamos fazer o máximo para que essa seja a melhor Copa do Mundo da história”, bradou, destacando ainda a força da economia brasileira e o combate ao racismo na competição.

Blatter disse ter feito questão de priorizar a visita à presidenta do Brasil durante a sua estadia. Segundo norma da Fifa, apenas chefes de Estado e campeões mundiais podem tocar o troféu – verde e amarelo como a Seleção, conforme observou Dilma Rousseff.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade