Futebol/ Copa do Mundo 2014 - ( )

Em ‘momento lindo’, Diego Costa tem apoio para fugir de pressão

Do correspondente Luiz Felipe Fagundes Curitiba (PR)

O segundo dia de treinos da seleção espanhola em Curitiba começou com entrevista coletiva, que contou com a participação do brasileiro Diego Costa. O reencontro com o Brasil, especialmente com a torcida, não poderia deixar de ser lembrado. Com a possibilidade de ser hostilizado por sua escolha, o jogador por enquanto não sentiu a pressão.

“Está tudo bem, as pessoas estão me tratando ao jeito que espero. Sei que não vai ser assim, mas tenho apoio de muita gente”, garantiu o atacante, que conta com apoio especial da família, para torcer e para dar suporte à decisão de atuar pela Fúria. “Meus pais estão muito felizes, estou próximo deles. Tomei minha decisão e eles sempre me apoiam”, acrescentou.

Voltando de lesão, que quase o tirou da lista de convocados, desta vez o brasileiro garante que se sente bem. Porém, tão bem quanto as outras vez que voltou a sentir a contusão: “Toda vez que tive reincidência da lesão, estava me sentindo bem. Mas, a cada dia que passa estou melhor. Me sinto bem. Estou pronto e não haverá nenhum problema”.

AFP
Diego Costa ainda não balançou as redes com a camisa vermelha da Fúria

Alheio a julgamentos externos sobre sua condição física ou nacionalidade, Diego quer aproveitar sua chance de disputar a Copa e, cotado para titular, com ansiedade ainda maior para a bola rolar no dia 13 de junho, diante da Holanda, na Fonte Nova, em Salvador. “Estou vivendo um momento lindo, só tenho que agradecer. Sempre tem a ansiedade da estreia. Nós jogadores tentamos viver o momento e aproveitar para treinar e melhorar a cada dia. Mas, queremos que comece a Copa logo”.

A segunda coletiva oficial da seleção espanhola chamou a atenção por uma verdadeira ‘seleção natural’ realizada pela assessoria de imprensa. Apesar de vários jornalistas brasileiros terem pedido a palavra, o microfone somente chegou às mãos de um. As demais perguntas foram realizadas por espanhóis, mais preocupados com temas como clima e ambiente do grupo, fugindo de perguntas polêmicas, como uma possível transferência de Diego Costa para o Chelsea ou sobre a escolha do atacante titular para a estreia.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade