Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Equador desarma "ferrolho", mas cede virada à Suíça nos acréscimos

Brasília (DF)

Em sua estreia na Copa do Mundo de 2014, o Equador mostrou-se eficiente ofensivamente ao superar o “ferrolho” da Suíça, com um gol marcado pelo jovem Enner Valencia. Porém, no segundo tempo, os sul-americanos sucumbiram ao habilidoso setor de articulação adversário e sofreram a virada por 2 a 1. O gol do triunfo europeu veio nos acréscimos, em contragolpe mortal arquitetado por Rodríguez e concluído por Seferovic, que saiu do banco de reservas.

Os alvirrubros voltam a campo na sexta-feira, às 16 horas (de Brasília), diante da França. O palco do duelo será a Arena Fonte Nova, em Salvador-BA. Por sua vez, La Tri terá Honduras pela frente, no mesmo dia, mas às 19 horas, na Arena da Baixada, em Curitiba-PR.

O jogo – Nos primeiros minutos, a Suíça tentou explorar o lado esquerdo da defesa equatoriana, onde atua o camisa 10 Walter Ayoví. O fôlego de Lichtsteiner superou o lateral-esquerdo tricolor e deu origem a boas chances. Com 15 jogados, Shaqiri foi acionado no meio-campo, chamou para a perna esquerda e exigiu defesa de Domínguez. Dois minutos mais tarde, no setor oposto, Rodríguez arriscou de longe e viu o arqueiro adversário espalmar para escanteio.

Porém, antes “ponto fraco”, Ayoví foi determinante para o gol do Equador, aos 22 minutos. Após falta de Lichtsteiner no veloz atacante Montero na ponta esquerda, o camisa 10 cruzou na medida para o jovem Enner Valencia testar firme, pro chão, sem dar chances para Benaglio.

Gazeta Press
Enner Valencia subiu com liberdade e aproveitou o cruzamento preciso de Ayoví (Foto: Célio Messias)

Com o domínio da posse de bola, a Suíça apostou na criatividade de seu recheado meio-campo para gerar oportunidades. Percebendo a forte marcação implementada em Shaqiri, Stocker e Behrami, o volante Inler apareceu como elemento surpresa, aos 35, e concluiu com firmeza da intermediária. Porém, Domínguez se esticou no canto esquerdo para colocar a bola em escanteio.

Em desvantagem, a equipe europeia voltou para o segundo tempo com o atacante Mehmedi no lugar do apagado Stocker. A alteração promovida por Ottmar Hitzfeld surtiu efeito em apenas três minutos. Após escanteio cobrado por Rodríguez, o camisa 18 ganhou de Gruezo no alto e testou no ângulo direito de Domínguez, que não esboçou reação.

O empate fez com que os tricolores chegassem com mais frequência ao campo ofensivo, diferente da postura apresentada no primeiro período. Aos seis minutos, em nova falta sofrida por Montero, Enner Valencia cruzou na medida, mas o zagueiro flamenguista Erazo cabeceou por cima do travessão. Com 14 jogados, o participativo camisa 13 quase anotou seu segundo gol na partida, mas finalizou rente ao ângulo esquerdo de Benaglio, em chute desferido da entrada da área.

Aos 20 minutos, o agudo Montero escapou pela ponta esquerda, superou Lichtsteiner na velocidade e finalizou rasteiro, mas viu Benaglio colocar a bola em escanteio. Quando o relógio apontou a marca dos 24, Drmic recebeu um belo passe de Mehmedi e tocou na saída de Domínguez para balançar a rede. Porém, o auxiliar flagrou o centroavante em posição irregular.

Nos acréscimos, o Equador perdeu uma grande chance para desempatar. Após escapar em velocidade pela ponta direita, Antonio Valencia serviu Rojas, mas viu o companheiro ser desarmado na área. A punição veio no contragolpe suíço, onde Rodríguez foi à linha de fundo e cruzou para Seferovic concluir firme, estufando as redes de Domínguez e decretando a virada em solo brasiliense.

Gazeta Press
O camisa 9 Seferovic saiu do banco para marcar o gol da virada suíça em Brasília (Foto: Célio Messias)

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade